Tania Khalill à CONTIGO!: “Sim, poderia ficar grávida de novo. Filho é sempre bem-vindo”

Gravando Joia Rara no Rio de Janeiro, a atriz vive na ponte aérea para São Paulo para matar a saudade das filhas pequenas, Laura e Isabela

A atriz está no ar em Joia Rara
Foto: Ernani d’Almeida

A parte mais difícil para Tania Khalill, 36 anos, é o Skype. Ver as filhas de longe, pelo monitor. “Quando as vejo assim e uma delas começa a fazer beicinho, já peço para desligar, senão choro”, explica a atriz de Joia Rara, que passa boa parte da semana gravando no Rio de Janeiro, enquanto Laura, 2, e Isabela, 6, ficam em São Paulo, com o pai, o músico Jair Oliveira, 38. Às vezes ela até pega uma ponte aérea só para chegar em casa e dar um beijo de boa-noite nas crianças. Trabalhoso e cansativo, mas vale a pena. “Nunca durmo longe da minha família à toa”, diz. Em 2011, período da gravação de Fina Estampa, com Laurinha muito bebê, ela se mudou para o Rio com as crianças. “Tinha de dar de mamar, então resolvi ter pouso aqui. Ainda tenho a casa no Rio, adoro a cidade, a Isa se adaptou muito bem à escolinha, mas o trabalho do Jair é em São Paulo, ele tem uma produtora lá”, justifica sobre a volta à terra paulista. O cenário não é tão incomum assim na vida de muitos casais contemporâneos que trabalham – e muito!

“Adoro ser mãe”, afirma Tania, que já vê em Isabela a possibilidade de ser uma atriz, como ela. “Sou canceriana. Para mim, ser mãe era uma condição, um fato. Se não fosse naturalmente, adotaria, teria uma produção independente, mas seria mãe de alguma maneira. Não teria a menor condição de eu não exercer a maternidade. Sou muito maternal e tenho uma mãe incrível, que sempre falou que a melhor coisa do mundo era a maternidade.” O papel é tão bom para ela que nem descarta a possibilidade de um upgrade. “Sim, poderia ficar grávida de novo. Não sou cartesiana com nada. Filho é sempre bem-vindo. Se vier, ótimo. Adoraria ter três meninas. Mas, quem sabe, não vem um pretinho para me ensinar a jogar bola?”, brinca.

Tania Khalill à CONTIGO!: "Sim, poderia ficar grávida de novo. Filho é sempre bem-vindo"

“Meu marido é um paizão! As meninas são loucas por ele. E ele adora comprar roupinhas para elas”
Foto: Ernani d’Almeida

Por trás de toda supermãe, pode existir também um superpai, o que é o caso do Jair. “Meu marido é um paizão! As meninas são loucas por eles. Menina e pai têm uma relação forte, né? E ele adora comprar roupinhas para elas. As meninas depois falam: ‘Esta blusa, meu papai que deu!’”, conta Tania, imitando uma divertida voz de criança.

Ela está casada há oito anos com Jair e acha que Laurinha vai ser cantora, pois não pode ver um microfone que já sai cantando. “Puxou ao pai”, diz. “Acho que elas vão ser artistas. Eu vou aplaudir, mas se quiserem ser engenheiras, vou estar do lado delas sempre.” Como marido, o papel de Jair também é ressaltado e com louvor. “Ele sempre puxa o meu pé para o chão. Acho que os músicos são menos egocêntricos que os atores. Ele é muito maduro e me ensina cada dia mais.” Os dois viajam juntos, de férias, mas a distância das crianças é sempre difícil. E lá vai mais Skype… “Por isso eu digo: quando elas não vão com a gente, sete dias é o ideal, é o máximo. Até porque só penso nelas, em comprar coisas para elas”, explica.

Crianças na cozinha

Os superpais gravaram com as meninas o piloto de um programa, o Grandes Pequeninos 2, em que as três aparecem cozinhando. “Não são nenhuma expert no assunto, mas eu e as meninas gostamos de nos divertir na cozinha, fazer experiências, de transformar o momento de cozinhar em algo lúdico”, conta Tania, que pretende levar a atração para um canal fechado. “O projeto Grandes Pequeninos começou com o nascimento da Isabela, quando fizemos um CD com músicas do Jair e um livro de mesmo nome. E sempre tivemos o desejo de fazer um programa para o público infantil e para os pais.”

MATÉRIA PRESENTE NA EDIÇÃO 1989 DA REVISTA CONTIGO!, NAS BANCAS EM 30/10/2013.

Tania Khalill à CONTIGO!: "Sim, poderia ficar grávida de novo. Filho é sempre bem-vindo"

Tania Khalill é mãe de duas meninas
Foto: Ernani d’Almeida