Taylor Swift se faz de vítima para alavancar a carreira?!!

Nada contra Tay, inclusive gostamos dela, mas impossível negar que a cantora fez sua fama se vitimizando sobre várias coisas.

Taylor Swift é uma das cantoras mais populares e queridas do mundo, mas sua carreira é cheia de altos e baixos com muitas histórias (leia-se bafafás) que rolam entre ela e outros famosos. O Buzzfeed elencou alguns momentos que deixariam claro que a cantora se aproveita de situações para se promover.

Segue:

Abertamente feminista desde 2014, Tay incomodou algumas pessoas ao não se posicionar durante as eleições presidenciais dos Estados Unidos e mais, ficaram nos deixou perguntando porque não se fez presente no Women’s March, movimento feminino contra o governo Trump.

No mesmo dia da marcha, a cantora publicou um tweet apoiando a passeata dizendo que sentia “muito amor, orgulho e respeito por aqueles que marcharam”, mas logo recebeu críticas de seus seguidores que diziam que ela não podia escolher apoiar o feminismo apenas quando o movimento a beneficiasse.

https://twitter.com/taylorswift13/status/822929499851526146?ref_src=twsrc%5Etfw

Realmente, é muito fácil montar um #girlsquad poderoso para um clipe — e para inúmeros outros eventos que iam juntas —, e postar fotos com suas amigas enaltecendo umas as outras, mas o fato dela não ter se posicionado politicamente durante as eleições e também não ter ido à Marcha das Mulheres provocou uma certa revolta. Como o Washington Post apontou: “Existe uma diferença entre ser feminista e se chamar de feminista. Feminismo é mais do que apoiar suas amigas ou falar frases de efeito sobre girl power; é um movimento político”. Mas é claro que, quando Tay viu que o feminismo estava em alta, resolveu se beneficiar e montou seu #squad exclusivo e fechado. Ok…

Antes dessa história temos a briga dela com Kanye West — qual delas, né gente?!— envolvendo a música Famous do rapper. Na letra, Kanye é sexista e misógino, inclusive cita o nome da cantora e deprecia sua carreira. Errado? Óbvio que sim! Mas, após a polêmica surgir, o rapper disse que a letra tinha sido aprovada pela cantora, que ele havia mostrado a música para ela antes de ser lançada, mas quem poderia acreditar que Tay Tay, a princesinha, aprovaria aquele tipo de coisa?

É claro que a música teve um péssima aceitação e alguns fãs quiseram boicotá-la.

Pois bem, durante o Grammy, enquanto aceitava o prêmio de Álbum do Ano, Tay fez um discurso cheio de indiretas, dizendo: “Para todas as meninas: existirão pessoas ao longo do caminho que tentarão tirar seu sucesso ou ganhar crédito por suas conquistas ou por sua fama”. Sentimos o shade e a referência de trás da tela da TV…

Mas aí foi onde tudo melhorou e Kim Kardashian entrou na briga (amamos? sim!) revelando que ela tinha um vídeo que poderia comprovar que Kanye havia ligado para Taylor e que ela deu seu aval para a canção. “Isso é apenas mais uma maneira dela se fazer de vítima. Claramente rendeu muito atenção à ela da última vez”, disse a empresária em um episódio de Keeping Up The Kardashians. E aí ela vazou a ligação via Snapchat:

No áudio existe a prova de que Kanye ligou de fato para Taylor e que ela havia aprovado a música, dizendo inclusive que “se as pessoas vierem me perguntar algo sobre, eu direi ‘Ele me ligou e me falou sobre a letra da música antes de ser lançada. Nós estamos bem”. O que, claramente, não foi o que ela fez após ver a reação negativa das pessoas. Bad, Taylor!

Briga 2 de Tay e Kanye: Estamos no Grammy de 2009 e quem não se lembra de quando o rapper invadiu o palco enquanto ela aceitava o premio de Melhor Álbum e disse que Beyoncé merecia mais? A imagem da pobre e inocente cantora de country ao lado do rapper furioso é uma que não sairá de nossas mentes tão cedo. Mas o que não foi enaltecido na hora foi que Kanye não tinha nada contra Taylor, ele queria mostrar o racismo na industria musical, que constantemente favorece músicos brancos.

VMA 2009 Taylor Swift e Kanye West

 (/)

Depois do incidente o rapper disse: “Não é sobre Kanye West. Não é sobre Taylor Swift. Existem muitas pessoas nos Estados Unidos que sentem que eles não tem um lugar onde expressar o racismo que acontece.” Ele ainda disse que os jurados da MTV estavam tentando preencher a vaga de “popstar branca e jovem” que Brirney Spears havia deixado.

A opinião publica prontamente julgou Kanye e Taylor, que não era boba, resolveu capitalizar em cima do esteriótipo de “homem negro bravo”. Em 2010, lançou a música Innocent onde diz que perdoava West e que ele não sabia o que estava fazendo naquele momento, que ele era inocente e, é claro, que o sofrimento ficou estampado em sua face durante a performance inteira.

Agora vamos aos namoros e a caça aos tesouros que Tay nos instigava a fazer atrás de quem era o boy por trás das músicas:

O começo da carreira de Taylor era pautado em balões, castelos, vestidos imensos, príncipes em cavalos brancos e o amor verdadeiro. Ok para uma menina de 15 anos, certo? Mas os namoros falhos e o amor não correspondido viraram uma outra maneira de Tay ganhar em cima de seu papel de vítima (que não duvidamos que tenha existido, mas a garota soube fazer dinheiro em cima).

Taylor Swift

 (/)

Após cada término, Tay, como ótima compositora que é, sentava com seu violão e escrevia músicas ou até mesmo álbuns sobre aquele cara ou relacionamento. Sobre seu namoro com Joe Jonas, a cantora foi ao programa de Ellen Degeneres e disse “Quando eu achar o cara certo, eu não conseguirei me lembrar do menino que terminou comigo por telefone durante 25 segundos quando eu tinha 18 anos”. Shade jogado com sucesso!

Com Jake GyllenhaalJohn Mayer não foi diferente. Durante uma performance de “We Are Never Ever Getting Back Together”, Swift falou para o publico cantar junto, antes de dizer “Jake, agora é sua vez!” O relacionamento com Mayer inspirou a música “Dear John”.

Pouco depois chegou Harry Styles, o One Direction womanizer, e lá foi Taylor Swift. Após o término do casal, a cantora twittou a frase “Til you put me down”, pedaço da musica I Knew You Were Trouble, levando-nos a acreditar que a canção tinha sido feita para ele e, é claro, mais uma vez nós ficamos com a impressão de que ele era o errado na história. Para arrematar essa fase de “os garotos são péssimos comigo e eu sou a coitada abandonada”, Taylor jogou a bomba 1989 em nós que, além de ser um ótimo álbum, é também inteiro sobre Harry Styles e conta com inúmeras referencias do boy ao longo das músicas e dos clipes.

Katy Perry: nossa amada california girl é a próxima pauta no hall de vitimismo de Tay e também nos leva para as brigas que a cantora teve ao longo de sua carreira.

O rumor sobre a música Bad Blood (que foi onde nasceu o squad de Taylor) nunca foi confirmado, mas a cantora deu uma entrevista dizendo que a canção não era sobre um garoto, mas sim sobre “alguém que tentou sabotar a turnê inteira” dela. Em entrevista à Rolling Stone americana, Taylor disse que nunca tinha certeza se ela e a pessoa eram amigas ou não, mas após tentar contratar vários de seus dançarinos e sabotar sua turnê, sabia que eram inimigas. “Eu odeio confrontos, vocês não acreditam o quanto eu odeio conflitos. Então agora eu tenho que evita-la. É estranho e eu não gosto disso”.

Taylor Swift bad blood

 (/)

Com Nicki Minaj, a briga não foi tão sutil. Após o vídeo da rapper não receber uma indicação ao VMA, Minaj postou uma série de tweets que criticavam, entre outros fatores, o sistema racista da industria musical. Taylor logo tomou as dores pensando que fosse uma indireta para ela e mandou uma resposta dizendo “Eu não fiz nada além de amar e apoiar você. Colocar mulheres umas contra as outras não é algo que você faz. Talvez um dos homens tenha tomado seu lugar”. Tipo, oi?! Tay quis ser protagonista de algo que não tinha nada a ver com ela.

https://twitter.com/taylorswift13/status/623616796277506048?ref_src=twsrc%5Etfw

Voltando para o presente, Tay vem mudando aos poucos seu estilo princesinha. A cantora continua com seus cabelos loiros, mas tem se relacionado mais com membros mais “descolados” de seu squad, como Cara Delenvigne e Gigi Hadid, além de Zayn Malik, com quem lançou um dueto para o filme 50 Tons Mais Escuros. As produções de Tay passaram de super femininas e delicadas para roupas com pegada mais edgy e seu cabelo também está mais moderno.

Após uma era de vitimismo e delicadeza, será que Tay está tentando mudar um pouco sua imagem antes de lançar o novo álbum? E mais, será que as pessoas vão acreditar que essa mudança é real e não um jogo de marketing?