Tiago Abravanel: ‘Não quero ser um artista intocável. Quero mais é que me apertem, me beijem’

Depois de se consagrar como ator, ele grava música, lança clipe e pensa em ser apresentador

Tiago Abravanel: 'Não quero ser um artista intocável. Quero mais é que me apertem, me beijem'

No Salão Nobre do Theatro Municipal de São Paulo, Tiago Abravanel se sente em casa
Foto: Tomás Arthuzzi

A relação de Tiago Abravanel, 26 anos, com o palco sempre foi intensa. Além de ser neto de Silvio Santos, 83, Tiago passou a infância dentro de um teatro. Depois que sua mãe, a produtora Cintia Abravanel, 50, passou a administrar o Teatro Imprensa, do Grupo Silvio Santos, em São Paulo, o menino, na época com 11 anos, fez do lugar o seu parque de diversões. “Aquele palco era a minha Disney World. Eu passava o tempo nos bastidores, observando tudo. O fato de a minha mãe ter me levado tão cedo para o teatro foi fator decisivo em minha vida”, admite. Tão decisivo que, aos 15, ele estreou em sua primeira peça profissional e, a partir daí, vem conquistando espaço no teatro musical. Com a montagem de Tim Maia – Vale Tudo, o Musical, em 2011, o ator alcançou sucesso nacional e deu início a outra vertente artística, a de “cantor de verdade”, como costuma dizer. “Depois do Tim, as pessoas passaram a me chamar para fazer show de verdade. Achei que não fosse dar em nada, mas a coisa engrenou. Meus fãs começaram a perguntar onde poderiam comprar ingresso para as apresentações ou onde baixar o meu CD, e nada disso existia de fato. Naquele momento, vi uma nova oportunidade. Por que não um Tiago cantor?”, conta.

Ecletismo musical

Decisão tomada, Tiago partiu em busca de sua sonoridade e chegou ao que chama de “estilo festa”. “O mercado musical faz com que você entre em uma prateleira. Ou você é rock ou é samba, mas me considero um cantor popular. Eu faço festa e me identifico com tudo mesmo. Por isso que Eclético é o nome perfeito para a minha primeira música. Quer mais eclético do que eu, que sou um ator que canta e dança e sou neto do dono do SBT, mas trabalho na Globo?”, brinca ele, que acaba de lançar o clipe de sua música.

Estar em outra emissora, onde atuou em novelas como Salve Jorge (2012) e Joia Rara (2013), atrapalha alguma coisa em casa? Tiago garante que não, pelo contrário, diz que o apoio da família é constante. “Não temos o menor problema com essa questão de concorrência. Todos me apoiam muito, principalmente o meu avô. Sinto que ele está cada vez mais orgulhoso de mim, de me ver trilhando o meu caminho pelas minhas escolhas. Hoje tenho uma carreira, não sou mais só o neto do Silvio Santos.”

A curiosidade que envolve o sobrenome famoso não é de agora. Na infância, Tiago lidava com as perguntas engraçadas dos colegas – “O que ele dá de Natal? Ele é legal? Como é ser neto dele?” – sempre com muita naturalidade. No entanto, ele não tinha dimensão da fama do avô. “Era engraçado ver os programas dele na televisão, mas não tinha consciência que ele era tão querido pelo povo. A primeira vez que entendi o quanto ele era famoso foi quando saímos para comer um lanche, em Copacabana. Chegamos ao restaurante e, imediatamente, começou a se formar uma multidão à nossa volta. Quase não conseguimos fazer o nosso pedido. A polícia foi chamada para nos ajudar e, no final, tivemos de comer em casa”, lembra. 

Tiago Abravanel: 'Não quero ser um artista intocável. Quero mais é que me apertem, me beijem'

“Quer mais eclético do que eu, que sou um ator que canta e dança e sou neto do dono do SBT, mas trabalho na Globo?”
Foto: Tomás Arthuzzi

Popular na escola

Se há uma herança que não dá para negar é o carisma de Silvio. Na época de escola, Tiago mantinha um bom relacionamento com todos, principalmente com os professores. “Se me perguntarem se eu era um bom aluno, digo que era um bom relações-públicas”, dispara. Devido à desenvoltura, não sofreu com as piadas dos amigos sobre estar acima do peso, via aquilo como uma brincadeira e não se deixava abalar. “Tinha aqueles momentos em que me olhava no espelho e não gostava do que via, mas aprendi a lidar muito bem com isso. Nunca fui discriminado por ser gordinho, sempre fui amigo da galera. Hoje, estou bem assim, do jeito que sou. Só mudo se for para algum trabalho”, diz ele, que está solteiro e sem muito tempo para namorar. “Estou na pista, morto jamais! O trabalho dificulta as coisas, mas não paro, não.”

A dedicação à música não significa que Tiago abandonou a carreira de ator. “Nos palcos, eu continuo interpretando, pois não acredito na minha música sem uma intenção. Estou focado em meus shows agora, mas nada me impede de aceitar outros trabalhos”, avisa. Entre as possibilidades, ele não descarta a ideia de seguir os passos do avô. “Ele me inspira muito em tudo o que faço. A história de ser apresentador tem mexido muito comigo e acho que vai rolar mais para a frente. Não vou ser o sucessor dele nem vou ser uma cópia. Mas eu seria muito feliz apresentando um programa. Que venham as propostas!”, diz rindo. Se depender dos fãs, muitas virão. “Não quero ser um artista intocável. Quero mais é que eles me apertem, me beijem. Eu adoro isso. Até as senhorinhas são mais soltas comigo, elas não têm pudor e apertam mesmo a minha bunda.”

Em turnê

A primeira turnê musical de Tiago Abravanel, Eclético, já tem datas confirmadas:

– 03 de Outubro – Rio de Janeiro – Vivo Rio
– 10 de Outubro – Belém do Pará
– 31 de Outubro – Brasília
– 01 de Novembro – Goiânia
– 06 de Novembro – Curitiba
– 07 de Novembro – Porto Alegre
– 15 de Novembro – São Paulo

Sem abandonar a carreira de ator, Tiago prepara seu primeiro CD para o começo de 2015
Foto: Tomás Arthuzzi