Valesca Popozuda: ‘As mulheres me cantam muito mais que os homens’

A funkeira mais amada do Brasil conta como ficou chique, lembra a infância pobre, fala de amores, sexo, do filho e muito mais

Valesca Popozuda: 'As mulheres me cantam muito mais que os homens'

Beijinho no ombros para as inimigas
Foto: Tomás Arthuzzi

Ela já não é mais tão popozuda, está com o corpo sequinho, canta em festas de milionários, dá entrevista a emissoras internacionais e posa para catálogos de moda. É, essa é a nova Valesca, que há quase um ano segue carreira solo e deu muito o que falar com o estrondoso sucesso de Beijinho no Ombro. O vídeo do hit teve 35 milhões de views no YouTube e fez o cachê da cantora e dançarina chegar aos R$ 50 mil.”Esta é a base, mas pode ser mais alto dependendo do lugar”, contou a musa nesta entrevista exclusiva a TITITI.
 
Valesca Santos, 35 anos, nasceu no bairro do Irajá, no Rio, trabalhou em lanchonete e como frentista de posto de gasolina, onde foi descoberta por Leandro Gomes, seu empresário até hoje e pai de seu filho, Pablo, de 14 anos. Ela estourou com a banda Gaiola das Popozudas, posou para a PLAYBOY e participou de A Fazenda 4, em 2011. Hoje mora em um apartamento em um condomínio beeem legal na Barra da Tijuca, na Cidade Maravilhosa, tem uma agenda alucinada com até 30 apresentações por mês, mas diz que continua a mesma de sempre: uma mulher romântica, guerreira, feminista por intuição e que adora Fábio Jr. Vem conferir as declarações instigantes da estrela pop!
 
Você já sofreu preconceito por ser funkeira?
Não vou negar, rolou muito preconceito, sim, mas não vou mudar para agradar ninguém. Serei sempre eu, a funkeira, a favelada… Eu sou verdade. E só tenho que agradar meus fãs. Eles, sim, fazem parte da minha vida.
 
O que mudou em sua vida depois do sucesso de Beijinho no Ombro?
A classe A começou a me reconhecer e a música alavancou meu sucesso solo.

Valesca Popozuda: 'As mulheres me cantam muito mais que os homens'

Valesca e Marina Ruy Barbosa caem na folia
Foto: Reprodução/Instagram

Está preparando um novo hit?
Sim, estou gravando Sou Dessas, que coloca as mulheres pra cima, sempre no poder. E em outubro vou lançar meu CD com algumas músicas da época da Gaiola e outras inéditas. Meu empresário está fechando com uma gravadora e em breve teremos novidades. Queria logo um DVD também, mas aprendi que na vida temos que fazer as coisas com calma.
 
Para quem você manda beijinho no ombro hoje em dia?
Para as pessoas que se acham Deus, julgam e criticam os outros, sem conhecer direito.
 
As críticas incomodam?
Já nem ligo mais para elas. No começo chorava, ficava triste, mas aprendi a não esquentar. Não sou uma cantora de voz ótima. Sou aquela que dá alegria e faz os fãs felizes.
 
E esse lance de querer ficar mais chique? Você mudou mesmo?
Não mudei minha essência! Simplesmente aprendi que, para chamar atenção, não precisa usar um short curto, e sim estar chique, sofisticada e passar confiança. 

Mas seu jeito de cantar também mudou!
É… Não preciso ficar cantando palavrão 24 horas por dia. E faço meu show conforme a circunstância. Primeiro sinto a plateia e vejo até onde posso ir com a sacanagem e a brincadeira. Mas o público, em geral, gosta mais do proibidão do que da coisa light. O funk vem mudando, agora está mais classudo. Danço conforme a música, mas nunca perco minha essência!

Valesca Popozuda: 'As mulheres me cantam muito mais que os homens'

Chique e poderosa no Caldeirão do Huck
Foto: TV Globo/Divulgação

Está solteira?
Não estou namorando ninguém, mas é claro que, quando tenho tempo, dou uns beijos na boca (risos).
 
Entre quatro paredes você segue a linha da antiga ou da nova Valesca?
Continuo a mesma entre quatro paredes. Para mim, sempre vale tudo, desde que os dois estejam de acordo.
 
Como rola o prazer na cama para você?

Sexo bom é aquele que me leva à loucura e me faz subir pelas paredes, como uma lagartixa. Tem que começar com bastante carinho, desejo, preliminares e chegar ao auge. Gosto de me sentir desejada e de fazer amor. Não curto isso de dar umazinha e pronto! 

O que o homem precisa para conquistá-la?
O olhar diz tudo, tem que encantar desde o começo. Gosto daqueles beijos que já me deixam louca de cara. Homem, para mim, precisa ter pegada!
Valesca Popozuda: 'As mulheres me cantam muito mais que os homens'

Valesca cantando a versão de um sucesso de Michel Teló
Foto: TV Globo/Divulgação

Sonha em se casar?
Tenho alergia a casamento. Só se fosse por amor, com um príncipe encantado num cavalo branco (risos). Sou muito feliz sozinha. Não digo que desta água não beberei, mas casar por casar não rola.
 
Já se apaixonou muitas vezes na vida?
Só me apaixonei na adolescência. Eu chorava e achava que o mundo iria acabar. Depois de burra velha nunca mais (risos).
 
E se você se apaixonar hoje?
Ficarei boba e lerda, e isso vai atrapalhar meu trabalho. Não quero para mim. No momento, meu coração está com um cadeado.
 
Você emagreceu bastante, não?
Perdi gordura e ganhei massa magra. Tirei a musculação da minha vida e só faço aeróbica e treino funcional. Magra, fico mais bonita e chique. Já cheguei a 79 cm de coxa, hoje tenho 53 cm. 
 
Seu filho sofre algum tipo de preconceito na escola por você ser funkeira?
Que nada, pelo contrário… Ele leva autógrafos e CDs meus para a galera. As professoras conversam comigo sempre. Tenho uma boa relação com todos no colégio. Meu filho não me dá problema algum, é ótimo.

Valesca Popozuda: 'As mulheres me cantam muito mais que os homens'

Valesca emagreceu 10kg com mudança de alimentação e treinos
Foto: Reprodução/Instagram

Você viaja muito a trabalho… Como é a educação dele?
Pablo sempre ficou com minha mãe, Regina. E hoje tem uma pessoa que cuida dele quando estou fazendo shows. Mas, nas minhas folgas, ele é minha prioridade. Não vou a festas nem saio com caras. Prefiro estar com meu filho. Ele cuida de mim, e eu, dele.
 
É mãe compreensiva ou faz o tipo mais severa?
Cobro nota, dou bronca, deixo de castigo, coloco limites e não dou as coisas de mão beijada. Pablo tem que saber que a vida é difícil. Na idade dele (14 anos), eu já estava morando sozinha e trabalhando. Mas temos uma relação boa. Explico o certo e o errado, e ele me ouve muito.
 
Como foi sua gravidez?
Quando descobri que estava grávida, entrei em desespero e só chorava. Tinha 20 anos e estava fazendo figuração na Globo, queria ser atriz. O pai era um ficante meu, assumiu e me deu apoio.
 
Tudo rolou tranquilo?
Nem tanto… Minha gravidez foi de risco, pois tive descolamento de placenta. Precisei ficar de repouso e quase perdi o neném. Não tinha dinheiro e frequentava uma ONG de grávidas carentes na qual ganhei berço, roupinhas, cesta básica… Meu parto foi normal. Doeu muito, mas no dia seguinte eu já estava ótima. 
 
Ser mãe é uma realização?
Hoje vejo que Pablo é um presente. Mas não penso em colocar outro filho no mundo, pois não tenho tempo de cuidar.

Valesca Popozuda: 'As mulheres me cantam muito mais que os homens'

Comemorando o aniversário do filho Pablo no boliche
Foto: Divulgação

Verdade que você e Anitta não se dão bem?
Claro que não! Nunca fomos melhores amigas, mas eu a admiro, pois foi batalhadora e merece tudo isso que está acontecendo.
 
Na sua opinião, a sociedade brasileira ainda é muito machista?
É, mas as mulheres estão evoluindo cada vez mais, se unindo e mostrando o poder conquistado com a liberdade. Isso está quebrando um pouco esse machismo.
 
Quando foi a última vez que chorou?
Sou do bem, e meu coração é mole que nem manteiga. A última vez que chorei de verdade foi outro dia em um programa de TV no qual mostraram minha infância.
 
Sofreu muito naquela época?
Minha mãe me teve com 18 anos, e meu pai não quis me assumir. Não tenho avós, pois não conheço a família do meu pai, e minha mãe foi criada em um colégio e também não conhece a família dela. Teve muita dificuldade para me criar.
 
Ela trabalhava?
Era trocadora (cobradora) de ônibus quando nasci e tinha que me deixar na comunidade com pessoas que cuidavam de mim enquanto ela trabalhava. Eles não cuidaram direito, meu umbigo apodreceu, tive uma infecção e quase morri.
 
Sua mãe continuou solteira?
Ela conheceu meu padrasto, não casou por amor, e sim por ter visto nele uma solução para cuidar melhor de mim. Fui criada por ele, a quem sempre respeitei muito. Na família dele, todos me deram carinho e amor. Um tempo depois de o meu padrasto morrer, minha mãe conheceu o pai dos meus irmãos (Jéssica, 22 anos, Júlia, 19, e Júnior, 18).
 
Faltou comida ou casa em algum momento de sua vida?
Minha mãe ralava muito e nunca nos faltou comida e teto. Hoje proporciono a aposentadoria dela e sou muito feliz por isso.

Ela passou por muitas dificuldades, mas hoje deu a volta por cima e manda beijinho no ombro pra tudo isso!!!
Foto: Tv Globo/Divulgação

Conheceu seu pai biológico?
Só fui conhecer aos 12 anos. Eu o perdoei por ter me rejeitado, mas nunca tive amor por ele, que também já morreu.
 
Em algum momento de miséria total pensou em acabar com tudo?
Nunca pensei em me matar por nada. Mesmo com tantos problemas, a vida é boa.
 
O que já comprou com o dinheiro ganho por meio da música?
O que ganho invisto em imóveis, ações e faço uma poupança para meu filho. Quando posei nua, em 2009, comprei o apartamento em que moro e reformei uma casa para minha mãe, meus irmãos e minha sobrinha e afilhadinha Ariane, filha da Jéssica.
 
Já usou drogas?
A única droga que eu uso é cigarro. Fumo por nervosismo, estresse e agonia. Fumar me dá um conforto, apesar de saber que não é legal.
 
Já precisou sair com alguém para descolar um dinheiro?
Recebi propostas, mas nunca saí com ninguém por dinheiro. Mas esse tipo de coisa não chega diretamente a mim. Geralmente falam com meu empresário, mas acho graça e não dou confiança. E mais, não critico quem faz sexo em troca de dinheiro. Muitas prostitutas são guerreiras, têm que sobreviver de algum jeito, e elas estão usando o que é delas, e ninguém tem nada a ver com isso. Bato palmas para elas!
 
Já recebeu cantadas de mulheres?
As mulheres me cantam muito mais que os homens! Tenho muitas fãs lésbicas e não vejo nenhuma maldade no olhar delas. Levo tudo na brincadeira. É uma cantada sem tara. Algumas me chamam de gostosa no show!
 
Como se vê aos 60 anos?
Mais velha, muito bem e feliz!
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s