4 receitas gostosas com plantas alimentícias não convencionais

Elas ainda são pouco conhecidas, mas as PANCs carregam nutrição e sabores que vão te surpreender

Você já ouviu falar em plantas alimentícias não convencionais (PANCs)? São alimentos geralmente não muito comuns na cozinha, mas que carregam muitos benefícios nutricionais e sabores diversificados. São quase dez mil plantas comestíveis presentes em hortas e até mesmo nas ruas das grandes cidades que a gente nem imagina que podem se transformar em pratos coloridos e cheios de sabor.

Estamos acostumados a comprar sempre as mesmas verduras e legumes, seja por costume ou por falta de variedades nos locais de compra. Uma alface, uma couve, uma escarola….tudo isso sabemos o que são e tiramos de letra, né? Mas você já ouviu falar em serralha, capuchinha ou muricato? Ou quem sabe, taioba, chanana ou beldroega?

As PANCs podem ser hortaliças, flores, grãos e até tubérculos, e como não são produzidas em larga escala, geralmente são livres de agrotóxicos, o que deixa tudo muito melhor.

E elas não estão tão longe da gente, não. Você encontra as plantas comestíveis em feiras orgânicas, em feiras livres das capitais e do interior, em alguns supermercados e também em centros de abastecimento e distribuição, como a CEAGESP, em São Paulo. Isso sem falar nas hortas comunitárias e particulares, onde você pode arranjar uma mudinha. Na internet, o projeto Ka’a-eté surgiu como uma pequena ideia de mapear PANCs em locais públicos, mas também serve para pesquisar diferentes tipos das plantas.

Um universo de possibilidades para você sair do convencional e deixar as suas refeições mais saudáveis. Ficou com vontade? Então veja estas quatro receitas veganas com PANCs para você fazer hoje mesmo.

Sopa de abóbora com beldroega

 (Conceição Trucom/Doce Limão/Reprodução)

Para aqueles dias frios, uma sopinha de abóbora com um toque especial desta PANC vai te deixar quentinha. A beldroega, também conhecida como onze-horas, se tornou erva daninha em boa parte da América do Sul, de tão rápido que ela se espalhou. Suas folhas têm um sabor ligeiramente ácido e salgado, perfeito para pratos quentes.

Patê de biomassa de banana verde com tomilho

 (Amanda Marfil/Kiko Sierich/Divulgação)

Perfeito para servir com aperitivos e no cafezinho da tarde. Para algumas pessoas o tomilho já é de casa, mas a erva originária do Mediterrâneo ainda é pouco explorada nas casas brasileiras. Acredita-se no seu poder medicinal, alegando que ela seria um poderoso estimulante de apetite.

Cuscuz com coração de bananeira e açafrão da terra

 (Adriana Vernacci/Divulgação)

Esta receita é chamativa pelas cores e também pelo aroma que vai se espalhar pela casa toda. O coração da bananeira é a parte onde nascem os cachos da banana, e tem esse nome devido ao seu formato igual ao de um coração. Apresenta uma textura muito parecida com a do palmito e um gosto amarguinho.

Bolinho de arroz com taioba

 (Conceição Trucom/DoceLimão/Reprodução)

Bolinho de arroz é uma tradição brasileira, assado fica ainda mais saudável. A taioba é muito rica em nutrientes e minerais, como as vitaminas A, do complexo B, além de cálcio e ferro. Super aliada à saúde, ela ajuda a combater a anemia e fortalece o sistema imunológico. É importante saber que nem toda espécie dela é comestível, como é o caso da taioba-brava, que possui uma substância que pode causar asfixia. Saiba como diferenciar os tipos de taiobas aqui.