7 dicas para você fazer o arroz soltinho mais perfeito da sua vida

Da escolha dos grãos à colocação da tampa na panela, passando pelas proporções entre água, óleo e arroz. E diga adeus ao arroz empapado!

Para os pratos do dia a dia serem perfeitos, o arroz que faz par com o feijão ou acompanha o estrogonofe tem que ser soltinho. Claro que gosto é gosto e não tem nada de mais preferir o arroz empapado, mas a maioria prefere deixar o “a união faz a força” para risotos e itens da culinária asiática.

Muitas pessoas, porém, têm dificuldade para alcançar esse estado ideal de grãos soltinhos. Se é seu caso, vem com a gente: a chef de cozinha Daniele Spada e a culinarista Elisa Mercatto dão, a seguir, sete dicas para que você consiga fazer o arroz soltinho mais perfeito da sua vida.

Escolha bem o tipo de arroz

O arroz para o dia a dia é o tipo agulhinha.

Quanto mais perolados os grãos, menor o risco de eles ficarem grudados – os esbranquiçados têm mais amido, que é um dos responsáveis pelo grude durante o cozimento. Por isso, opte pelo parboilizado, que nem precisa ser lavado.

Se por alguma razão você precisar usar o arroz branco, lave-o várias vezes, até a água ficar praticamente transparente, para liberar o amido excessivo e seque os grãos muito bem. No próximo item você entenderá por que eles não podem ir molhados para a panela.

“Sele” os grãos do arroz com óleo ou azeite

Para cada xícara de arroz, use duas colheres de sopa de óleo ou azeite no cozimento.

A gordura deve ser colocada na panela e aquecida, para então receber os grãos. Mexa tudo muito bem por cerca de um minuto e meio, até que todos os grãos sejam completamente envolvidos pelo óleo ou pelo azeite – essa “selagem” evitará que eles grudem durante o cozimento. E é por isso que eles não podem estar molhados: a água prejudica a adesão da gordura nos grãos.

Nesta etapa você também coloca os temperos a seu gosto.

Use água já quente para o cozimento do arroz

Para cada xícara de arroz, use duas xícaras de água no cozimento.

A água deve estar aquecida por dois motivos:

– A fria pode “lavar” parcialmente o óleo ou azeite dos grãos no tempo que leva para ficar quente, prejudicando a selagem do item anterior; e

– O cozimento fica mais rápido (pouca gente tem tempo para desperdiçar, não é mesmo?).

Mexa bem o arroz na água e deixe a panela no fogo médio, sem mexer mais.

Quando não houver mais água visível, baixe o fogo e tampe parcialmente a panela

Quando não houver mais água sobre os grãos do arroz e eles já estiverem meio inchados, coloque o fogo no nível baixo e tampe parcialmente a panela.

Veja também

Deixe um mínimo de água no fundo da panela ao desligar o fogo

Mais ou menos cinco minutos depois de você ter baixado o fogo, a água terá secado quase completamente. O ponto para desligar o fogo é quando houver apenas um mínimo de líquido no fundo da panela, o que você pode verificar afastando os grãos gentilmente com um garfo.

Tampe a panela para o arroz acabar de cozinhar no vapor

Com o fogo apagado, tampe totalmente a panela e a deixe assim por cerca de cinco minutos. Nesse período, o arroz acabará de cozinhar no vapor e aquela água mínima do fundo da panela secará.

Solte os grãos cozidos com o auxílio de um garfo

Seu arroz soltinho está pronto, mas nada de tirá-lo da panela imediatamente e às colheradas. Antes, você deve soltar os grãos delicadamente e com o auxílio de um garfo. E então transferi-los para uma travessa e servi-lo bem soltinho e delicioso.