Kombucha: tudo sobre a bebida – e como fazer em casa

Especialistas esclarecem as oito dúvidas mais comuns sobre a bebida probiótica que auxilia o bom funcionamento do organismo.

Já se vão mais de dois mil anos desde que os chineses criaram a kombucha – pronuncia-se “combutchá” –, uma bebida feita a partir da fermentação de chá verde, branco ou preto e que auxilia o funcionamento do organismo. Justamente por causa dessa forcinha que dá à saúde e por ter pouco açúcar e poucas calorias, ela superou a barreira do tempo e hoje está super em alta entre quem se preocupa em consumir alimentos voltados ao bem-estar.

Como existe todo um universo que envolve a origem, a ação e a produção de kombucha, conversamos com Gislaine Santana (engenheira de alimentos da indústria de bebidas Campo Largo) e com Patrícia Lopes (nutricionista clínica) para saber mais sobre a bebida. A seguir, elas esclarecem as oito dúvidas mais comuns sobre o assunto. De bônus, confira um tutorial sobre como fazer a primeira fermentação em casa.

O que faz a kombucha beneficiar o bom funcionamento do organismo?

Isso ocorre porque a kombucha é uma bebida probiótica, ou seja, fermentada por micro-organismos vivos que atuam no equilíbrio da flora intestinal.

E quais são exatamente os benefícios para a saúde causados pela kombucha?

Os principais são:

– melhor digestão;

– proteção das células (por ser antioxidante);

– prevenção do envelhecimento precoce da pele (também por ser antioxidante);

– eliminação de gorduras ruins da corrente sanguínea;

– alívio de dores de doenças como a artrite (por ser anti-inflamatório);

– fornecimento de energia.

Veja também

Como é essa história de fermentação natural da kombucha?

Tudo começa com o SCOBY (do inglês, symbiotic culture of bacteria and yeast – em português, cultura simbiótica de bactérias e leveduras), uma “panqueca” gelatinosa e translúcida que tecnicamente é um composto de micro-organismos aglomerados em uma massa de celulose. Ao ser adicionado a um chá adoçado, o scoby reage ao açúcar e inicia um processo de fermentação que deixa a bebida gaseificada, ácida e docinha.

É melhor fazer a kombucha em casa ou comprar pronta?

Tanto faz – ou: o que for mais adequado ao seu estilo de vida.

Para fazer em casa, você precisa ter o scoby (normalmente doado por alguém que já faça kombucha), chá e açúcar. E respeitar tempos e quantidades para preparo, fermentação e consumo. Este tutorial é bem completo para quem for fazer pela primeira vez:

Se você não tem tempo ou paciência para todo esse processo, a melhor alternativa é comprar a bebida pronta. É uma solução prática e bem segura, já que quem a produz para comercialização controla todos os aspectos necessários. Sem contar que a variedade de sabores é enorme.

Posso acrescentar sucos e frutas à kombucha?

Pode, sem problema nenhum! Pode colocar também vegetais (couve, por exemplo) e temperos (como cardamomo ou gengibre). O que seu paladar achar legal é bem-vindo.

É verdade que a kombucha pode ser alcoólica?

Sim, é verdade. Quando o processo de fermentação dura mais do que o indicado, desenvolve-se um teor alcoólico na bebida. Por isso, se você não pode ou não quer consumir bebida alcoólica, deve ficar muito atenta aos descansos do chá no scoby.

Todo mundo pode beber kombucha?

A princípio, sim. Mas, por haver  possibilidade de teor alcoólico, é bom gestantes e lactantes consultarem seu médico de confiança a respeito do assunto.

Posso beber kombucha como se fosse água?

É melhor não. Como ela estimula o sistema gastrointestinais e a digestão, consumi-la em excesso pode causar desconfortos como cólicas e até diarreia. O ideal é beber de um a dois copos por dia, no máximo.