David Bowie foi um dos maiores influenciadores que a moda já conheceu

A cada década uma reinvenção de um artista completamente brilhante.

 

Helen Green / Reprodução Helen Green / Reprodução

Helen Green / Reprodução (/)

1. Androginia

Thinking RSG/Divulgação Thinking RSG/Divulgação

Thinking RSG/Divulgação (/)

O fato de Bowie não se limitar a moda de gêneros e explorar todas as possibilidades de vestuário e maquiagem era o que tornava a androginia da época tão sedutora. Ainda no começo dos anos 60 o cantor tinha um visual mais “sério”, mas que já se mostrava irreverente com o uso da calça cenoura na persona “David Jones”. Talvez tenha alguma semelhança com os Beatles até então – ainda bem que o estilo ganhou uma reviravolta com o lançamento do álbum “The Man Who Sold The World” em 1970.

2. Quando ele apareceu usando vestido em 1970

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

A capa do álbum The Man Who Sold The World trouxe um Bowie revisitado e inovador. De vestido e com um estilo hippie do estilista Michael Fish, o cantor reafirmou sua tendência androgínica com pantalonas, camisas rendadas e cabelos compridos. E o choque foi geral: a capa do vestido era a britânica, o que fez com que muita gente não soubesse do fato quando ele se lançou em turnê em 1971 – até porque em cada país a arte do álbum era diferente.

3. …e salto alto (1973)

Sukita Mime Sit/Divulgação Sukita Mime Sit/Divulgação

Sukita Mime Sit/Divulgação (/)

A era do glam rock tem um autor: David Bowie. Com sua reinvenção como Ziggy Stardust, o alter ego totalmente andrógino e extravagante do álbum The Rise and Fall of Ziggy Stardust and The Spiders From Mars, brilho, collants, cabelos vermelhos e maquiagens fortes dominaram o estilo Bowie de ser. E ele adorava apostar nos saltos altos para se apresentar!

4. Se reinventava com composições de diferentes países

Sukita/Divulgação Sukita/Divulgação

Sukita/Divulgação (/)

Colin Davey/Getty Images Colin Davey/Getty Images

Colin Davey/Getty Images (/)

Bowie sempre será um grande ícone da moda, além de ser um referencial único em todos os aspectos artísticos possíveis. Ele trouxe luz para muitos estilistas pouco ou nada conhecidos naquela época como o japonês Kansai Yamamoto, responsável pelo óptico macacão desfilado por Ziggy Stardust em 1973. David Bowie abriu as portas para a multiculturalidade que definiu todo seu estilo. Trouxe ao mundo a moda japonesa, o funk da Filadélfia e o som eletrônico alemão de Berlim. A cada lançamento uma nova persona reavivava a moda, sempre de maneira inovadora e diferente da anterior.

5. Eternizou-se com a capa icônica de “Alladin Sane”

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Em todas as festas à fantasia você sempre irá encontrar o maior clássico de Bowie: sua maquiagem de raio com os fios vermelhos. Ali estava a continuação do desenrolar da persona Ziggy: o modo que David encontrou para adequar cada uma de suas fases aos estilos irreverentes eternizados. O raio representava a “esquizofrenia” que o próprio cantor sentia enquanto estava em turnê pela América, a dualidade mental de querer estar no palco, mas ao mesmo tempo não querer estar em um ônibus com estranhos.

6. Criou um corte de cabelo queridinho dos anos 70

Sukita Tiger Woolen/Divulgação Sukita Tiger Woolen/Divulgação

Sukita Tiger Woolen/Divulgação (/)

Quem nunca viu as fotos antigas de pais, mães, tias e tios que desfilavam o poderoso corte de cabelo de David Bowie? Moderno, despojado, rebelde e revolucionário: a cabeleira vermelha também marcou presença na trajetória de estilo do cantor.

7. A icônica jaqueta britânia de Alexander McQueen (1997)

Reprodução Reprodução

Reprodução (/)

O cantor pediu ao jovem estilista e pouco conhecido que criasse uma jaqueta com a estampa da bandeira do Reino Unido “destruída” com marcas de cigarro – e essa se tornou uma das peças mais icônicas do designer. Bowie apareceu com ela na capa do CD Earthling, reforçando mais uma vez sua influência na moda e para o despertar de novos talentos.

8. Sua eterna inspiração para os desfiles de moda

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Não importa se era 1980 ou 2016: Bowie inspirou inúmeros estilistas de grifes famosas como McQueen e Givenchy a criarem peças de seus looks mais marcantes. O estilo andrógino, as pantalonas, calça cenoura, collant de tricô, peça de um ombro e uma perna só e itens de alfaiataria todas fazem parte de um fenômeno chamado David Bowie. Em 2013 o cantor participou da campanha da Louis Vuitton com a modelo Arizona Muse, apresentando uma versão inédita de I Rather Be High.

 

 

9. Assumir personas diferentes – e estilos condizentes

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Já pensou que chato seria se todos os dias fôssemos as mesmas pessoas, com o mesmo estilo e as mesmas vontades de sempre? Pois o grande legado fashionista do artista foi justamente essa inovação com seus alter egos, permitindo-se ser e experimentar as mais variadas vertentes da moda em cada década. Da calça cenoura nos anos 60 até o elegante Bowie dos anos 2000, ele foi quem queria ser, sem se impor limites de gênero ou idade. E inspirou muita gente a fazer o mesmo!

10. A polivalência artística de Bowie

Getty Images/Reprodução Pinterest Getty Images/Reprodução Pinterest

Getty Images/Reprodução Pinterest (/)

David Bowie foi muito mais do que apenas um cantor. Toda sua criatividade e pioneirismo eram reflexos da personalidade complexa, resultando em uma mistura de influências, localizações e ideias que Bowie protagonizou em quase cinco décadas. Retratos do Reino Unido, dos Estados Unidos, Japão, Berlim e tantas outras cidades florearam a beleza de um dos maiores influenciadores que a cultura pop já conheceu.

Please include attribution to http://www.londonisthereason.com with this graphic.

David Bowie Fashion Icon