Foi é tarde! O desfile da Victoria’s Secret finalmente foi cancelado

Em um reflexo da crise que tem tomado a marca, pela primeira vez em 24 anos o desfile não será realizado

Foram 24 anos de tradição, mas eis que o Victoria’s Secret Fashion Show finalmente chegou ao fim – o que, honestamente, não choca ninguém. Primeiro porque Shanina Shaik, uma modelo australiana que desfilava para a grife, já havia deixado a notícia escapar em julho deste ano. “É algo com o qual não estou acostumada, pois todo ano, nessa época, estou treinando como uma angel. (…) Tenho certeza que eles estão trabalhando na marca e em novas maneiras de fazer o show, porque é o melhor show no mundo”, declarou ela ao jornal The Daily Telegraph.

A fala da modelo, de fato, ecoa o que foi comunicado pelo diretor financeiro da empresa, Stuart Burgdoerfer. Segundo o site Fortune, ele justificou o cancelamento do desfile como uma medida de “evolução da mensagem da companhia”. “Estaremos nos comunicando com os consumidores, mas nada similar à magnitude do fashion show”, completou.

Mas não é de hoje que a marca vinha mostrando sinais de instabilidade. Com uma vertiginosa diminuição de sua audiência – ano passado foram apenas 3.2 milhões de telespectadores, a menor marca registrada desde que o show passou a ser televisionado em 2010 – e registrando queda de 7% nas vendas do último trimestre, a VS parece ter, pouco ao pouco, perdido seu brilho e espaço no mercado.

Parte desse apagamento, sem dúvidas, se deve a teimosia da empresa em não acompanhar a evolução geral de pensamento. Com o surgimento de marcas mais inclusivas como a Savage x Fenty, da Rihanna, a Victoria’s Secret estava praticamente parada no tempo pressionando suas modelos para se manterem sempre magérrimas.

Isso sem falar nas péssimas declarações de seu diretor de marketing, Ed Razek. Em 2018, ele declarou que o show é “uma fantasia” e que, portanto, não haveria espaço nele para mulheres trans ou plus size. Veremos se a dita evolução de mensagem finalmente muda esse cenário.