Guia de autenticidade da bolsa de luxo

Especialista em marcas de luxo explica os detalhes que provam a autenticidade das bolsas mais poderosas da moda

Quem nunca quis ter um pedacinho de riqueza no closet? Pois é por causa desse desejo que vive no imaginário feminino que marcas como Chanel, Louis Vuitton, Gucci, Balenciaga, Dior, Fendi e Prada viram alvos da indústria da réplica.

Patrícia Niemeyer Sardenberg sabe bem disso: depois que criou o Etiqueta Única, brechó de luxo online, passou a se deparar com a questão e a necessidade de ter uma equipe especializada em análise de autenticidade.

“O mercado paralelo é muito forte e a dúvida sempre existe”, conta. “Cada marca possui algumas premissas de verificação, como uma tabela de todos os itens que precisam ser analisados, e é ela que usamos para fornecer nosso próprio certificado de autenticação”.

A própria Patricia, ex-Daslu e nora da atual diretora da Dior no Brasil, é expert no assunto – e divide com ESTILO as principais dicas para você ficar de olho na hora de comprar uma bolsa:

LOUIS VUITTON

Materiais e estampas
–  Couro legítimo – O couro utilizado para fabricação das bolsas Louis Vuitton são de excelente qualidade, apresentando um envelhecimento específico e maravilhoso com o uso. Para identificar a legitimidade do couro, há alguns truques: se for muito liso, pode desconfiar. Geralmente o couro não é perfeito e os originais contêm alguma marca ou ruga. Outra dica é sentir o cheiro do tecido, que é bem forte e específico.

– Canvas – Muitas bolsas da Louis Vuitton são fabricadas com um tecido produzido a partir do algodão. O canvas (lona em inglês) passa por diversos processos de tratamento para fortalecer a durabilidade e garantir a impermeabilidade. Mesmo nessas peças, alças e acabamentos são apresentados em couro legítimo.
Logomarca
-Cada peça tem o monograma formando uma estampa, que sempre está alinhada e simétrica independente da sobreposição da aba com o corpo da bolsa. E sim, o monograma pode estar cortado na costura, mas é sempre inteiro no meio da peça. Inclusive pode estar de ponta-cabeça se uma peça é inteiriça e o canvas é contínuo.

Divulgação Divulgação
Metais e fechos
– Verifique se os fechos e puxadores dos zíperes possuem inscrição com a logomarca.

– Atente-se ao funcionamento dos zíperes presentes na bolsa. A marca realiza teste com maquinários que abrem e fecham os zíperes cinco mil vezes para garantir o padrão de qualidade do material.

Costura
– Os pespontos nos produtos da marca são impecáveis e possuem o mesmo número de costuras dos dois lados das alças.

Divulgação Divulgação
Código de autenticidade e etiquetas
– Os códigos de autenticidade das bolsas, presentes no interior dos produtos, possuem letras e números. Podem ser apresentados de diferentes formas: em uma etiqueta interna ou gravado diretamente no forro, seja ele de couro ou outro material.

– Atualmente, produtos Louis Vuitton são fabricados na França, Estados Unidos, Itália, Espanha e Alemanha. Atente-se à inscrição do local de fabricação e certifique se apresenta um desses países.

CHANEL

Materiais
–  As bolsas da Chanel são produzidas com couro de carneiro ou couro caviar.

– Se encontrar resíduos de cola no couro da bolsa, atenção! As réplicas são coladas, enquanto as originais são todas costuradas.

Divulgação Divulgação

Metais e fechos
–  No modelo 2.55, o fecho é retangular e sem o logotipo da marca. A alça é uma corrente composta por três elos metálicos entrelaçados. No caso do modelo Flap clássico, o fecho possui logomarca (dois C’s sobrepostos) e alça de corrente com couro entrelaçado.

Logotipo

– Observe a sobreposição dos C’s no fecho da bolsa. As originais apresentam o C da direita sobre o C da esquerda na parte superior e, na parte inferior, o C da esquerda sobre o C da direita.

–  Na parte de trás do fecho, no interior da bolsa, encontram-se duas palavras: Chanel (à esquerda) e Paris (à direita).

Divulgação Divulgação
Relevos
–  Relevo matelassê: nota-se o encaixe perfeito da padronagem em todos os ângulos, no encontro da aba da bolsa com o corpo, nas laterais e na aplicação de bolsos. Independente do corte que houver na peça, o matelassê deve ser contínuo.
Etiqueta 
– Na parte interna da bolsa, a logomarca da Chanel encontra-se centralizada e gravada em folha de alumínio da cor dos detalhes metálicos.

Divulgação Divulgação
Holograma
– A etiqueta, o adesivo e o design do holograma variam de acordo com a data de fabricação. As produções mais recentes, a partir do ano 2000, contam com adesivo revestindo a etiqueta. Esse adesivo possui um leve brilho (parecido com purpurina), corte nas transversais e o número de série, que varia entre sete e oito dígitos. Esse número é exatamente o mesmo do cartão de autenticidade que vem acompanhando a bolsa.

Divulgação Divulgação

GUCCI

Materiais
– Todos os produtos da Gucci são fabricados com tiras de couro legítimo.

Divulgação Divulgação

Costura
–  Os pespontos devem estar alinhados e totalmente sem falhas.

Logomarca
–  No material: os G’s que formam o padrão das peças da Gucci devem estar visíveis e padronizados, e não borrados ou cortados. As bolsas em couro possuem o GG marcado no tecido, formando uma estampa – nunca impressos em cima da superfície do produto.

Divulgação Divulgação
Etiquetas e número de autenticidade
–  O número de cada peça da Gucci está na parte de trás da etiqueta interna, sendo a série superior indicadora do código do modelo da bolsa. Nas versões atuais, esse número possui 6 dígitos em cima e embaixo. Caso seja uma peça vintage, a análise precisa ser feita com fosse em outros itens, como costura, material e logos.
– A logo da Gucci deve ser limpa e precisa, e possuir o inscrito “Made in Italy” embaixo.

Divulgação Divulgação
Metais e fechos
–  Os metais e fechos dos produtos Gucci devem ser pesados e muito bem feitos. Normalmente possuem a logo da marca inscrita.

– Os zíperes podem ser feitos tanto em metal quanto em plástico. Se for de metal, eles devem ter o nome da Gucci gravado.

Acessórios

– Quando o vendedor da peça nos disponibiliza, a equipe de análise do Etiqueta Única também inspeciona a embalagem e os livretos, que devem ser impressos. As embalagens antigas eram pretas e pratas, depois foram trocadas para cor de mel e, atualmente possuem tom de marrom escuro.

Informações sobre outras marcas podem ser checadas em http://www.etiquetaunica.com.br. O serviço de autenticação do produto pode ser contratado independentemente da intenção de venda ou compra. Ao final, caso a peça seja aprovada, é fornecido um selo de autenticidade e qualidade com um lacre codificado.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s