No cinema com Tom Ford

Figurinos lindos de atrizes idem são inspiração constante para o estilista. A seguir, ele conta o que aprendeu sobre moda em seus filmes preferidos

No cinema com Tom Ford

O cinema é grande fonte de inspiração para o estilista Tom Ford.
Foto: Reprodução

Continuação da matéria.


As criações do norte-americano Tom Ford são capazes de deixar a mais discreta das mulheres com cara de estrela hollywoodiana. Mero acaso? Não mesmo. Muitas vezes, o estilista busca referências para seu trabalho na ficção. “As imagens de cinema são poderosas, pois surgem de fantasias e não têm limites”, explica. Com isso em mente, ele selecionou nove momentos cinematográficos protagonizados por atrizes que dão verdadeiras lições de estilo. Aperte o play!


// Barbara Bates, em A Malvada

No cinema com Tom Ford

Foto: Reprodução


Luminosa, toda de branco, Gwyneth Paltrow ofuscou as colegas no Oscar deste ano. A capa longa e majestosa usada por ela deu o que falar, mas já havia aparecido nas telas muito antes. Tom Ford se inspirou na cena final de A Malvada para desenhar a peça. “Quando a personagem Eve deixa sua jovem tiete sozinha no quarto, a garota vivida por Barbara Bates maliciosamente veste-se com a capa de sua heroína e para em frente a um espelho de três lados. O poder daquela imagem nunca me deixou.”


// Faye Dunaway, em Chinatown

No cinema com Tom Ford

Foto: Reprodução

“A atriz aparece com figurinos gloriosos na mai0ria de seus filmes”, afirma o estilista. “Mas em Chinatown está especialmente incrível. Ela usa tailleurs combinados a chapéus e camisas, em looks que harmonizam perfeitamente o masculino e o feminino. Acho essa mistura irresistível. É muito mais sexy do que quando uma mulher quer bancar a garota bonitinha o tempo inteiro.”

 

// Tippi Hedren, em Os Pássaros

No cinema com Tom Ford

Foto: Reprodução

Para Tom Ford, a loira do famoso longa-metragem de Hitchcock carrega consigo algo estranhamente erótico. “Tem a ver com o modo como ela compensa a doçura do terninho claro com um toque de batom coral e, assim, mostra que é uma garota má.”

 

// Elizabeth Taylor, em De repente, no último verão

No cinema com Tom Ford

Foto: Reprodução

“Alguma mulher já esteve mais bem vestida em um hospício?”, perguntaFord, incrédulo, olhos fixos na imagem de Liz Taylor. “A maquiagem e o cabelo estão perfeitos. Sem contar o vestido, com ombros estruturados e cintura marcada – duas maneiras de acentuar as curvas do corpo -, que é insanamente chique.”

 

// Ursula Andress, em A décima vítima

Foto: Reprodução

“No thriller italiano futurista, hit nos Estados Unidos nos anos 1960, a sedutora e felina atriz Ursula Andress usava um biquíni prateado e metálico”, descreve Ford. “Ela disparava balas de uma pistola escondida dentro do sutiã. Eis uma garota valente!”


// Daryl Hannah, em Blade Runner

No cinema com Tom Ford

Foto: Reprodução

Segundo o estilista, cada vez mais a vida parece um roteiro de filme de Ridley Scott. “Blade Runner foi precursor na utilização da tecnologia e o body usado por Daryl Hannah permanece atual. Por isso, resolvi revisitá-lo em uma nova peça: o vestido colado ao corpo, de couro de crocodilo, desfilado por Rihanna no último baile do Met.”


// Julie Christie, em Shampoo

No cinema com Tom Ford

Foto: Reprodução

“Ela definitivamente era uma garota cool para aqueles tempos, sempre pronta para se divertir, mas inclassificável e difícil de definir”, afirma Ford. “Em uma das cenas, a personagem veste um longo de paetês superfechado na parte da frente. Porém, quando se vira, revela um decote profundo nas costas. Modo memorável de se insinuar.

 

//Lana Turner, em O destino bate à sua porta

No cinema com Tom Ford

Foto: Reprodução

“A sequência de abertura desse filme noir é arrebatadora. A câmera segue um batom que rola pelo chão até chegar aos pés de Lana Turner e, então, sobe para mostrá-la de biquíni branco e turbante. Tão pura… Pura maldade!”, diz Ford, que também é fã de turbantes.

 

// Karen Lynn Gorney e John Travolta, em Os Embalos de Sábado à Noite

No cinema com Tom Ford

Foto: Reprodução


“Impossível ignorar esse momento marcante dos anos 1970, em que o casal combina seus trajes. Eu tive este terno! Mas o vestido, não – bem, não naquela época.”

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s