No Dia Internacional da Mulher, Meghan Markle arrasa no discurso e no look

Com uma produção estampada, a Duquesa se juntou a respeitáveis ativistas mulheres e falou sobre a importância da educação de meninas de maneira global.

Foi anunciado nesta sexta (08), Dia Internacional da Mulher, que a Duquesa Meghan Markle agora assumirá mais uma função dentro da realeza. Meghan passará a atuar como vice-presidente da Queens Commonwealth Trust, organização beneficente que promove ações e patrocina projetos de jovens líderes globais, e da qual o Príncipe Harry é presidente e a Rainha Elizabeth, patrona.

Meghan se juntou a importantes personalidades femininas, como a cantora e ativista Annie Lenox, a modelo britânica e também ativista Adwoa Aboah, a ex-primeira-ministra da Austrália Julia Gillard, a jamaicana e fundadora do grupo de jovens imigrantes ‘Let Us Learn’ Chrisann Jarrett e a feminista zimbabueana Angeline Murimirwa, e, nesta manhã, participou, em Londres, de um painel organizado pela universidade King’s College London.

Da esquerda para a direita: Adwoa Aboah, Julia Gillard, Meghan Markle, Anne McElvoy e Angeline Murimirwa

Da esquerda para a direita: Adwoa Aboah, Julia Gillard, Meghan Markle, Anne McElvoy e Angeline Murimirwa (Daniel Leal-Olivas - WPA Pool/Getty Images)

O evento, mediado pela jornalista Anne McElvoy, editora-sênior do jornal Economist, visava debater sobre a relevância do Dia da Mulher, além de discutir sobre os obstáculos que ainda afetam a questão do empoderamento feminino de maneira global, como as limitações no acesso à educação e a falta de oportunidades de emprego.

Com um discurso feminista e extremamente importante, Meghan, que já atuava em prol dos direitos das mulheres antes mesmo de se tornar Duquesa, contou como foi seu primeiro contato com a questão do machismo, ressaltou a importância – social e econômica – da educação de meninas, e falou sobre a necessidade de usar sua posição privilegiada para promover mudanças.

View this post on Instagram

“If things are wrong and there is a lack of justice, and there is an inequality, then someone needs to say something.” — The Duchess of Sussex has become Vice-President of The @Queens_Commonwealth_Trust, of which Her Majesty The Queen is Patron, and The Duke of Sussex is President. In her new role, The Duchess will highlight the Trust's partnerships with young people across the Commonwealth, and in particular its work supporting women and girls. In celebration of International Women’s Day, Her Royal Highness joined a special panel discussion of female thought-leaders and activists convened by The Queen’s Commonwealth Trust, to discuss a range of issues affecting women today. #InternationalWomensDay #IWD2019 #QCT #QCTxIWD

A post shared by Kensington Palace (@kensingtonroyal) on

“Se as coisas estão erradas, se há uma injustiça e desigualdade, alguém precisa dizer alguma coisa. E por que não você? Devemos ser feministas globais”, falou ela, que está grávida de oito meses.

Leia Mais: Pediram para Meghan Markle usar looks discretos e ela surgiu usando paetê

Além das palavras necessárias, o que também chamou a atenção foi o visual escolhido por Meghan – que, diga-se, está cada vez mais elegante. Para a ocasião, a ex-atriz escolheu um modelo de vestido estampado P&B, com pegada anos 60, mangas compridas e gola alta, da loja britânica Reiss (já esgotado para compra).

 (Karwai Tang/WireImage/Getty Images)

Meghan combinou a peça, acima dos joelhos e um pouco mais curta do que os vestidos mídi com os quais está acostumada, com um blazer bem cortado de lã da Alexander McQueen – enfeitado com um broche da Queens Commonwealth Trust -, scarpins pretos de camurça e bico fino, da Manolo Blahnik, e uma bolsa de mão preta e dourada, Stella McCartney.

O cabelo com coque baixo, que já virou marca registrada da Duquesa, arrematou a produção.