4 personagens de ‘Segundo Sol’ que deveriam ter morrido na novela

Remy na verdade estava vivo, mas a lista de personagens que merecia morrer em 'Segundo Sol' é grande.

Desde o famoso “Quem matou Salomão Hayala?” lá na primeira versão de ‘O Astro‘, as novelas brasileiras se especializaram em usar morte como um truque para conseguir audiência. É uma fórmula fácil: você mata um personagem importante e, durante muitos capítulos, rola aquele mistério de “quem matou? por que matou?”.

Em ‘Segundo Sol‘ a gente quase teve isso, porque na verdade Remy (Vladimir Brichta) estava vivíssimo e o mistério acabou não existindo. Como a novela das nove está longe de ser a nossa favorita, pensamos em alguns personagens que poderiam ter morrido no meio da história para dar aquele gás na trama.

Severo

Severo em Segundo Sol

 (Globo/Reprodução)

O personagem de Odilon Wagner em ‘Segundo Sol’ é a personificação do “cão chupando manga”. É cruel com funcionários e parentes, se envolve em altas chantagens e consegue a proeza de ser desprezado por 11 de cada 10 familiares.

Uma pessoa tão odiada assim é o melhor tipo de gente para morrer, porque a lista de suspeitos ultrapassaria a casa das dezenas. Simplesmente todo personagem da novela teria motivo para matar Severo, desde a figurante que vende acarajé até o próprio Beto Falcão (Emilio Dantas).

Dodô

Dodô em Segundo Sol

 (Globo/Reprodução)

Pessoas queridas também são alvo de assassinos em novelas. Dodô (José de Abreu) não é exatamente uma unanimidade, mas tem sua fanbase cativa na casa dos Falcão.

Na verdade, o maior motivo para uma possível morte de seu personagem seria se livrar de alguém que não acrescenta tanto à história. Afinal, sua esposa Naná (Arlete Salles) já roubou toda a cena e os Falcão podem ficar só com uma matriarca que já está bom.

Agenor

Agenor em Segundo Sol

 (Globo/Reprodução)

Não precisa nem ser adepto do “machistas não passarão” para sentir um ódio profundo de Agenor (Roberto Bonfim). Desnecessário, troglodita e com um pezinho lá na mentalidade do século retrasado, Agenor não permite que sua mulher trabalhe e nem que tenha um sucesso profissional maior que o dele.

Só pelo ódio que nos fez sentir nos últimos seis meses o personagem já merece vestir um paletó de madeira. E o final poderia ser com sua ex-esposa o assassinando mesmo, nem julgaríamos a coitada que comeu o pão que o Agenor em pessoa amassou nessa novela.

Luzia

Luzia em Segundo Sol

 (globo/Reprodução)

Mas se vamos falar de ódio, precisamos encomendar a morte da marisqueira. Luzia (Giovanna Antonelli) é uma personagem chata, burra e rasa, e por causa de sua falta de inteligência vimos a história se arrastar após o caso do tribunal. Como pode alguém ser tão inocente a ponto de cair na mesma cilada duas vezes seguidas???

João Emanuel Carneiro, o autor da novela, poderia ter inovado e matado a própria protagonista. Aí veríamos a história andando e, quem sabe, Rosa (Letícia Colin) despontaria como nova mocinha. A gente nem iria reclamar.

☆ Pedras, cristais e rituais de proteção: saiba como usar ☆