‘Bom Sucesso’, a novela que quer discutir o mercado livreiro no Brasil

Próxima novela das sete terá um tema bem atual para o público que aprecia arte.

Uma das características das novelas brasileiras é ocasionalmente escolher um tema relevante para a sociedade e usá-lo como pano de fundo para uma narrativa folhetinesca. O chamado merchandising social serve então para discutir um assunto retratado numa história de amor que todos queremos assistir, e muitos temas pertinentes já foram abordados em novelas anteriores. Seguindo essa linha, a próxima novela das sete, ‘Bom Sucesso‘, traz consigo um tema inédito nas novelas e bem atual: o mercado editorial de livros.

Um dos principais núcleos de ‘Bom Sucesso’ é o da editora Prado Monteiro. Seu criador, o rabugento Alberto (Antonio Fagundes), começou sua carreira vendendo enciclopédias de porta em porta, e conseguiu criar uma poderosa editora que não anda muito bem das pernas. Durante a novela, acontecerá uma espécie de “operação salvamento” da Prado Monteiro que mudará a linha editorial: saem os livros caríssimos e passam a apostar em livros mais populares.

Diretor artístico Luiz Henrique Rios, autora Rosane Svartman e autor Paulo Halm

Diretor artístico Luiz Henrique Rios, autora Rosane Svartman e autor Paulo Halm (Globo / Estevam Avellar/Divulgação)

O mercado editoral brasileiro passa por uma crise grande. Problemas como falta de papel, fechamento de gráficas, recessão econômica e até grandes livrarias entrando em processo de recuperação judicial foram se acumulando até abalar fortemente o mercado editorial. A novela promete mostrar boa parte dessa realidade, será que foi coincidência ou já estavam prevendo isso de alguma forma? Segundo Rosane Svartman, uma das autoras de ‘Bom Sucesso’ ao lado de Paulo Halm, não foi coincidência.

Rosane, que já fez curadoria de uma arena na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, contou que foi feita uma grande pesquisa para retratar o mercado editoral, conversando com editoras e até visitando algumas delas. Durante essa apuração de informações, foi constatado que os problemas citados nesse mercado já estavam aparecendo aos poucos. Ou seja, eles não previram a crise, e sim ela era inevitável. “Quando a gente começou a escrever ainda não tinha acontecido o caso da Saraiva e da FNAC, mas já se falava muito sobre a crise. A crise da literatura, a crise do cinema…”, explicou.

Mas de onde surgiu a ideia de abordar justamente a literatura? A autora revelou que, durante os trabalhos na Bienal do Livro, viu aquela quantidade enorme de pessoas que, mesmo com uma crise na indústria, enchiam o evento e chegou à conclusão que as pessoas estão lá pelas histórias. “E é o que eu faço também, eu vivo de contar histórias. A gente valoriza a literatura, mas a gente valoriza junto o contar histórias”, apontou.

Entretanto, essa não é a primeira novela da dupla Rosane Svartman e Paulo Halm a discutir criticamente alguma forma de arte. Em ‘Totalmente Demais‘, a novela anterior deles, o cinema e a poesia foram os temas inseridos na trama. Já tem ‘Malhação: Sonhos‘, o teatro e a música ganharam espaço na narrativa com histórias que valorizavam esses meios de contar histórias.

‘Bom Sucesso’ é a próxima novela das sete e tem estreia prevista pra o dia 29 de julho, substituindo ‘Verão 90‘.