Cadê a criatividade? 5 histórias de Segundo Sol reaproveitadas pelo autor

Eu já não vi isso antes? Juntamos várias situações de 'Segundo Sol' parecidas com as de outras novelas do autor.

Dizem que uma novela é feita de 10% de inspiração e 90% de transpiração, mas no caso de ‘Segundo Sol‘ a gente arrisca arriscar uma porcentagem bem menor para o quesito criatividade. O autor João Emanuel Carneiro é conhecido por suas novelas de grande sucesso, mas também é lembrado  por reaproveitar e requentar histórias feitas por ele mesmo em várias novelas. ‘Segundo Sol’ não foi diferente, então separamos algumas tramas do autor que a gente já viu antes em algum outro lugar.

#01. A história do homem que se finge de morto

Histórias reaproveitadas em Segundo Sol

 (Globo/Montagem: MdeMulher/Reprodução)

‘Segundo Sol’ começou quando Beto Falcão (Emilio Dantas), um cantor decadente dos anos 90, chegou atrasado para pegar um avião. porém, esse voo perdido sofreu um acidente fatal, e todo mundo passou a acreditar que Beto Falcão estava morto. Como acontece com muitos artistas, uma grande comoção popular surgiu e isso se reverteu em dinheiro para a falida família Falcão, então Beto se viu na obrigação de fugir para um local isolado, Boiporã, e adotar uma nova identidade para manter o mito Beto Falcão morto.

Essa é praticamente a história de Paco Lambertini (Reynaldo Gianecchini) em ‘Da Cor do Pecado‘, a primeira novela de João Emanuel Carneiro. O ricaço simulou a própria morte e passou a viver como Apolo na humilde casa dos Sardinha, uma família de lutadores. Se colocasse um axé aí, seria totalmente a história de Beto Falcão.

#02. A família que fica pobre e se torna mais unida

Histórias reaproveitadas em Segundo Sol

 (Globo/Montagem: MdeMulher/Reprodução)

Um dos clichês mais amados por João Emanuel Carneiro é o da família muito rica e muito babaca, mas aí no meio da novela eles sempre perdem todo o dinheiro e precisam se virar com a pobreza. Em ‘Segundo Sol’, a famílai Athayde sofre por causa de diversas crises e, atualmente, estão morando de favor graças a Roberval (Fabrício Boliveira). Completamente duros e diante de uma doença horrível de Rochelle (Giovanna Lancellotti), a família acabou encontrando amor e se unindo.

Esse tema repetido teve muito destaque em ‘Cobras & Lagartos‘ (lembram de Marilia Pera sofrendo com a pobreza?), e voltou em todas as novelas do autor: temos o núcleo do Cadinho (Alexandre Borges) em ‘Avenida Brasil‘, assim como o Rui (Bruno Mazzeo) de ‘A Regra do Jogo‘?

#03. A mulher que volta querendo vingança

Histórias reaproveitadas em Segundo Sol

 (Globo/Montagem: MdeMulher/Reprodução)

Poucos dias após o término da vingança de Clara (Bianca Bin) em ‘O Outro Lado do Paraíso‘, a Globo colocou no ar… uma outra mocinha que volta por motivos vingativos. Enquanto Clara havia sido mantida num manicômio por interdição de sua sogra malvada, a marisqueira Luzia (Giovanna Antonelli) foi obrigada a abandonar os filhos no Brasil e sair fugida para a Islândia. Dez anos depois, retornou com sangue nos olhos e fingindo ser uma DJ internacional (como ela conseguiu, não fazemos ideia).

O clichê da mocinha vingativa é uma constante em nossas novelas, principalmente nas de João Emanuel Carneiro. Como esquecer de Nina (Débora Falabella), a protagonista de ‘Avenida Brasil‘? A história dessa clássica novela foi toda ao redor desse plano se revanche contra sua madrasta que a jogou no lixo, arquitetado durante anos num “exílio” na Argentina.

#04. O gay “convertido”

Histórias reaproveitadas em Segundo Sol

 (Globo/Montagem: MdeMulher/Reprodução)

Outro péssimo hábito de João Emanuel Carneiro em suas novelas é tratar muito mal a questão da homossexualidade. Após seis novelas escritas na Globo, podemos afirmar que em 100% delas o personagem homossexual é convertido à heterossexualidade de alguma forma.

No caso de ‘Segundo Sol’, Maura (Nanda Costa) foi apresentada como homossexual, mas, em algum ponto da história, o autor começou a juntá-la com Ionan (Armando Babioff). Os spoilers vazados até o momento dão indicativos que a personagem fará um “trisal” com sua namorada e Ionan, caindo em outro clichê muito famoso do autor: a poligamia (olha aí a família do Cadinho de novo).

#05. A vilã loira falastrona

Histórias reaproveitadas em Segundo Sol

 (Globo/Montagem: MdeMulher/Reprodução)

Isso não é exatamente uma crítica, mas já notaram como João Emanuel Carneiro AMA colocar vilãs loiras de personalidades fortes? Todas com frases bem marcantes, só esperando para virar meme na internet?

Os maiores expoentes do autor até hoje foram Carminha (Adriana Esteves) de ‘Avenida Brasil‘ e Flora (Patrícia Pillar) de ‘A Favorita‘, mas ele já cedeu à teledramaturgia nacional personalidades como Atena (Giovanna Antonelli) de ‘A Regra do Jogo‘ , Bárbara (Giovanna Antonelli de novo) de ‘Da Cor do Pecado‘ e agora com Laureta (Adriana Esteves de novo).

A importância de Mercúrio no seu Mapa Astral – escute já!