8 dicas para evitar as dores no ciático

Aquele incômodo que aparece nesse nervo tão importante tem tratamento e prevenção. Conheça as atitudes que afastam o problema

Aposto que você já ouviu alguém dizer: “Tô com uma dor no ciático hoje!” Apesar de levar a culpa por qualquer incômodo nas costas, esse nervo nem sempre é o vilão. O ciático é o maior nervo do corpo humano. Ele começa na parte de trás do quadril, desce pela coxa, pelo joelho e pela batata da perna, até alcançar o dedão do pé. É o nervo responsável pela sensibilidade e pelo movimento dos membros inferiores. A dor, bem chata, diga-se de passagem, é causada por compressão, inflamação ou irritação em alguma das cinco raízes nervosas que saem da região lombar e formam o nervo ciático. E o primeiro passo para não se confundir é saber reconhecer os sintomas, que são muito característicos. Descubra quais são eles e também como ficar longe desse incômodo.

Dor característica

A dor no ciático começa na região lombar, passa pelo bumbum e se estende até as pernas, podendo chegar ao dedão do pé. Algumas vezes começa com um formigamento ou como agulhadas nas costas. “O desconforto costuma melhorar quando requebramos o quadril para o lado. Quando nos esticamos, a dor volta com força total”, afirma Marcelo Wajchenberg, ortopedista do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

Idade de risco

A dor ciática pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais frequente após os 40 anos. O incômodo atinge igualmente homens e mulheres.

Causas

Vários fatores, como exercícios pesados, tumores, infecções e inflamação no nervo podem desencadear a dor no ciático. Entretanto, estima-se que a hérnia de disco seja responsável por oito em cada dez casos. Segundo o neurocirurgião Alexandre Elias, do Centro de Dor e Coluna do Hospital 9 de Julho, em São Paulo, a doença ocorre pelo desgaste ou trauma dos discos vertebrais. Eles apertam as raízes nervosas, provocando a dor. “A hérnia de disco interfere na qualidade de vida e limita atividades simples do dia a dia”, diz o médico. Além da dor, a doença provoca formigamento, dormência e fraqueza na perna.

Diagnóstico

Para descobrir a origem da dor, o médico ouve o relato do paciente e também faz um exame clínico. Em alguns casos, pede também uma ressonância magnética. Atenção: apenas um ortopedista, fisiatra ou clínico reumatologista são habilitados para diagnosticar e definir o tratamento para a dor ciática. Todo cuidado é pouco, já que uma massagem inadequada ou uma fisioterapia feita de maneira errada podem piorar muito o problema. Não aceite palpites de qualquer um.

Tratamento eficaz

Na maior parte dos casos, a dor ciática melhora com ajustes na postura. Também são indicadas sessões de fisioterapia e acupuntura, além de anti-inflamatórios, analgésicos e relaxantes musculares. Em 15 dias, geralmente, o problema é controlado. Em casos mais graves, quando todos os tratamentos não surtem efeito, o paciente é encaminhado para a cirurgia.

Injeção no lugar certo

Como o nervo ciático passa pelos glúteos, tenha cuidado na hora de tomar injeção. Se a agulha atingir o lugar errado, a dor será mais intensa e pode até ocorrer paralisia nos membros inferiores. O local correto da picada é a lateral superior da nádega. Se ela for aplicada mais para o centro, corre-se o risco de pegar o nervo. Para evitar esse perigo, tome a injeção numa farmácia e exija que o farmacêutico faça isso. Só ele está autorizado a realizar esse tipo de procedimento.

Prevenir é possível

Cuidar da coluna evita problemas na região e, consequentemente, dores no ciático. Veja as orientações do médico Alexandre Elias:

  • Pratique atividade física, respeitando sempre o limite do seu corpo. Tome cuidado para não sobrecarregar a coluna vertebral.
  • Sempre que for abaixar, dobre os joelhos, mantendo a coluna ereta. Use os braços para se apoiar na hora de agachar e também de se levantar.
  • Ao sentar, as costas devem ficar apoiadas no encosto da cadeira. Já os pés precisam ficar totalmente apoiados no chão. Sempre que der, o melhor é usar cadeira com braços.
  • Assim como a coluna, o pescoço deve permanecer sempre ereto. Isso é importante, principalmente, para quem fica horas na frente do computador.
  • Ande com a coluna ereta. Nunca olhe para o alto ou para baixo. O ideal é olhar para a frente.
  • Evite dormir de bruços. Essa é a posição menos indicada. Os médicos recomendam dormir de lado com um travesseiro entre os joelhos. Se for deitar de barriga para cima, coloque um travesseiro embaixo dos joelhos.
  • Vai usar mochila? O melhor é levar apenas o necessário, garantindo, assim, não carregar excesso de peso e sobrecarregar a coluna. Outra dica: use sempre as duas alças!
  • Ao fazer compras no supermercado, divida as sacolinhas nas duas mãos. Desse jeito, você não corre o risco de sobrecarregar um dos lados do corpo.
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s