8 erros que você comete durante a menstruação

Porque né, que atire a primeira pedra quem nunca dormiu de absorvente interno.

A gente já convive com a menstruação há anos, religiosamente todo mês. Mesmo assim, é muito comum cometer alguns erros que podem afetar na saúde – e não apenas da região íntima. Que atire a primeira pedra quem nunca dormiu com absorvente interno, por exemplo.

Talvez esses erros não sejam novidade para você, mas é sempre bom lembrar, pois com saúde não se brinca. Por isso, para explicar sobre os riscos, conversamos com a Dra. Bárbara Murayama, ginecologista e coordenadora da Clínica da Mulher do Hospital 9 de Julho, de São Paulo.

1. Dormir com absorvente interno.

Trocá-lo no mínimo de 4 em 4 horas é bem importante, pois há risco de infecção e feridas se você ficar com o mesmo absorvente interno durante muito tempo. Além disso, outro problema muito mais grave também pode ocorrer: o choque tóxico, que é bastante raro, mas pode até mesmo levar à morte. “O absorvente interno foi desenvolvido para esse período de uso, após esse tempo [de 4 horas], ele se torna um meio de cultura para bactérias que podem causar danos sérios, desde simples corrimentos até feridas e morte, em casos graves de choque tóxico”, diz a médica.

2. Quando há pouco fluxo, usar o mesmo absorvente externo durante muitas horas.

“Depois de quatro horas, o absorvente externo também pode se tornar um meio de cultura de bactérias. Podem acontecer corrimentos, coceiras e até graves infecções”. Ou seja: não é bom deixar aquele sangue parado em contato com a vulva por longos espaços de tempo.

Absorventes

 (/)

3. Não verificar o absorvente interno depois de ter entrado no mar ou na piscina.

Dependendo do tamanho do absorvente e do corpo de cada mulher, é possível que o algodão seja molhado pela água. Sendo assim, não é bom deixá-lo introduzido. O melhor é checar se isso acontece com você e, caso aconteça, lembre-se sempre de trocar o absorvente depois do mergulho. “É importante conhecer seu corpo, sua menstruação, para saber qual a melhor maneira de usar”.

4.  Esquecer de ferver o coletor depois de cada ciclo menstrual.

A correta higienização do copinho é indispensável para que não haja risco de infecção. “É preciso seguir as recomendações de cada produto”, alerta a ginecologista.

5. Não ter uma panelinha específica para ferver o coletor.

Mesmo que seja utilizada água fervente, isso não significa que você possa usar qualquer panela para ferver o copinho! A Dra. Bárbara também alerta para o fato de que a panelinha para higienização deve ser pessoal e intransferível. “O coletor deve ser higienizado de forma individualizada para evitar transmissão de doenças”. Também vale lembrar que o ideal é usar uma penela esmaltada para o procedimento.

Menstrual cup

 (/)

6. Automedicar-se e abusar dos medicamentos para cólica.

“Nenhuma automedicação é recomendada, para nada. A cólica pode ser um sintoma de alguma doença e, mesmo se não for, há medicações e tratamentos corretos, que devem ser individualizados para cada caso. Algumas medicações, como antiinflamatórios não hormonais, não devem ser usados por longos períodos, pois podem prejudicar os rins”, alerta a ginecologista.

7. Usar roupas apertadas.

Vale lembrar que, por produzir não só a menstruação e outros fluídos, mas também o suor, a região é sensível. “Quanto mais arejada a região íntima estiver, melhor. Quando abafamos, aumentamos as chances de infecções, especialmente por fungos, como a candidíase“.

8. “Aproveitar” para transar sem proteção.

A menstruação é composta por sangue, então, o risco de contrair doenças sexualmente transmissíveis é maior nesta fase, se a mulher tiver contato com alguma doença”. Então, você já sabe, mas é sempre bom lembrar: camisinha sempre!

☆ Descubra o significado de VÊNUS no seu Mapa Astral ☆