Cistite: prevenção e tratamento

Fique atenta se sentir vontade constante de ir ao banheiro e ardência na hora de urinar. São sinais da cistite

Segurar demais o xixi durante o dia 
é um dos fatores que causam cistite
Foto: Getty Images

Peso abaixo do umbigo, vontade de fazer xixi toda hora, ardor ao urinar, pouco volume de líquido eliminado. Se você apresenta esses sinais, é bem provável que seja vítima da cistite, uma inflamação na bexiga que traz muito desconforto. Ela afeta quatro em cada dez mulheres, segundo pesquisas recentes.

Essa infecção na bexiga pode ter diversas causas. ”Higiene íntima inadequada, contaminação na hora do sexo, uso de roupas muito justas e até o hábito de segurar demais o xixi durante o dia são alguns fatores que causam o problema”, alerta o médico André Cavalcanti, chefe do serviço de Urologia do Hospital Municipal Souza Aguiar, do Rio de Janeiro.

Felizmente, essa inflamação – que afeta mais mulheres do que homens – pode ser evitada e tratada com antibióticos.

Confira seus conhecimentos sobre a cistite

Fazer sexo pode facilitar o surgimento da doença
Verdade – É muito comum que a infecção urinária na mulher surja algumas horas ou dias depois da relação sexual. Os movimentos de penetração do pênis provocam pequenas rachaduras na entrada da uretra, e isso pode favorecer a contaminação.

A cistite afeta mais mulheres do que homens
Verdade – A cistite é uma infecção que atinge quatro em cada dez mulheres. Ela é tão comum que só perde para gripes e resfriados. A culpa é da nossa anatomia: as mulheres têm a uretra (canal por onde sai a urina) bem mais curta do que a dos homens. Isso facilita a chegada de bactérias à bexiga. Além disso, o risco de contaminação é maior porque, nas mulheres, a entrada da uretra é mais próxima do ânus.

Nem sempre é necessário ir ao médico.
Mito – A automedicação com analgésicos que melhoram os sintomas da cistite é uma prática muito perigosa. Afinal, ela não trata a infecção, mas só ameniza a dor e o desconforto. A única coisa que funciona é usar os antibióticos prescritos pelo médico.

A infecção pode evoluir e contaminar os rins.
Verdade – Se não for tratada de maneira correta, a infecção na bexiga pode evoluir para uma pielonefrite. Esse é o nome dado à doença quando ela ataca os rins. Quando isso ocorre, normalmente aparecem também febre, urina com sangue, dor nas costas e vômitos. Se a situação chegou a esse ponto, corra para um pronto-socorro: uma infecção renal grave costuma ser sinônimo de internação.

Quando a dor e o incômodo passam, o paciente não precisa mais tomar o antibiótico prescrito.
Mito – O tratamento da cistite é feito com antibióticos, medicamentos que não devem ser interrompidos antes do tempo determinado pelo médico. Após tomar algumas doses, os sintomas tendem a desaparecer, mas a bactéria continua viva e agindo na bexiga. A interrupção do remédio pode tornar a infecção ainda mais séria e resistente.