Conheça os tipos de fobia mais comuns e como enfrentá-los

Se você fica aterrorizada com insetos, altura e sangue, por exemplo, é possível que sofra de uma fobia. Enfrente o problema - acabe com esse transtorno de ansiedade

A claustrofobia é o medo de lugares fechados
Foto: Getty Images

É normal se assustar com uma barata e soltar um grito antes de pisoteá-la, mas, quando o medo causa um intenso mal-estar e deixa o corpo paralisado, pode ser uma fobia. “A origem desse distúrbio tem relação com a história de vida e pode ser resultado de um trauma de infância, por exemplo”, diz o psicobiólogo Ricardo Monezi, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Há pessoas que sofreram o desprazer de ter contato direto com insetos, daí, dependendo da reação e estardalhaço de parentes na situação, surge esse tipo de transtorno de ansiedade.

É preciso enfrentar

“O primeiro passo para tratar a fobia é não ter medo de assumi-la”, conta Monezi. É que o preconceito ronda o problema. Mas ninguém pode virar refém de seus temores. Quando o terror impede de sair à noite pelo medo da violência urbana é sinal de que algo está errado. Sessões de psicoterapia são o melhor remédio para acabar com o mal. A meditação costuma ajudar.

Medo de gente

São raras as pessoas que se soltam logo de cara ao falar em público. É natural gaguejar, sentir um frio na barriga e certo nervosismo, porém, depois de alguns minutos, essa timidez toda costuma desaparecer. Já aqueles que têm fobia social podem até desmaiar perante uma plateia ou ter diarreia durante uma reunião. Infelizmente, há pacientes que após passarem por episódios ruins se isolam e correm o risco de ter depressão.

Você sabia?

Diante do perigo, nosso cérebro dispara ordens e provoca uma descarga extra de adrenalina e outras substâncias que provocam taquicardia, suor em excesso, boca seca e tremores.

As fobias mais comuns:

– Acrofobia: altura

– Agorafobia: locais cheios

– Aracnofobia: aranhas

– Catsaridafobia: baratas

– Claustrofobia: lugares fechados

– Glossofobia: falar em público

– Hematofobia: sangue

– Hidrofobia: água

– Nictofobia: noite ou escuro

E os pavores bizarros:

– Ablutofobia: banho

– Alectorofobia: galinhas

– Androfobia: homem

– Automatonofobia: bonecos de ventríloquos

– Catagelofobia: passar ridículo

– Coulrofobia: palhaços

– Eclesiofobia: igreja

– Pogonofobia: barbas

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s