Da causa ao tratamento, 10 dúvidas respondidas sobre varizes

As veias dilatadas e deformadas podem causar dor, inchaço e problemas mais graves. Conheça melhor a doença que atinge muitas mulheres.

Sabe aquelas veias azuladas que aparecem atrás das pernas e que nos fazem pensar duas vezes antes de colocar uma saia curta? Pois elas devem ser mais do que uma preocupação estética. As varizes atingem principalmente as mulheres e, se não tratadas corretamente, podem causar problemas sérios à saúde.

Os cirurgiões vasculares dr. Carlos Mostestruque, da Clínica Megamed, e dr. Celso Zafani, da Rede de Hospitais São Camilo, de São Paulo, respondem às principais dúvidas sobre o tema.

 

1. O que são varizes?

“São veias tortuosas, dilatadas e insuficientes em membros inferiores”, resume o dr. Mostestruque. O que acontece na prática é que as veias das pernas levam o sangue aos membros inferiores e depois o reconduzem ao coração – elas são dotadas de válvulas que ajudam nesse processo de subida, impedindo o retorno o sangue pela gravidade. Porém, quando as veias ficam dilatadas, mais grossas, essas válvulas não fecham corretamente e não têm força para bombear o sangue de volta ao coração. Formam-se aí as incômodas varizes.

 

2. Como distinguir vasinhos roxos e varizes?

O que os diferencia é o calibre da veia, mais fino nos vasinhos e bem grosso nas varizes (a partir de 1 mm), mas só um profissional especializado pode analisar e orientar as melhores formas de tratar tanto um quanto outro. “Ambos fazem parte da patologia da insuficiência venosa e devem ser cuidados”, afirma o dr. Mostestruque. Alguns exames também são recomendados para ajudar em diagnósticos mais complicados, como o Doppler Venoso e o Eco-Doppler.

 

3. Quais são as causas das varizes?

A hereditariedade é uma das principais, mas há também outros fatores que desencadeiam o problema. Um deles é hormonal (alguns hormônios femininos diminuem o tônus da parede das veias), por isso o risco aumentado em mulheres, já que passamos por menstruação, gravidez e menopausa – o uso de anticoncepcional também favorece o surgimento das varizes. “A proporção do risco é de 3 mulheres para 1 homem”, afirma o dr. Zafani. Outros fatores de risco estão relacionados ao estilo de vida: ficar muitas horas em pé ou sentada, carregar peso e obesidade estão entre os principais.

 

4. Exercícios físicos ajudam ou podem prejudicar?

“São benéficos quando praticados com boa orientação. Caminhar ajuda no retorno venoso e a fortalecer a bomba muscular”, explica o dr. Mostestruque. E mesmo exercícios mais pesados, como musculação, são indicados, desde que feitos com pouca carga e muita repetição. “Além disso, o ato de prender a respiração para ajudar na realização do movimento é que aumenta a pressão abdominal e causa aumento na pressão venosa nos membros inferiores”, esclarece o cirurgião vascular.

 

5. Varizes são perigosas, como saber em que ponto podem ameaçar a saúde?

O risco é quando elas geram complicações, como flebites (processo inflamatório na parede da veia), tromboflebites (quando formam-se coágulos sanguíneos) e trombose venosa (quando forma-se um trombo causado pela coagulação do sangue). “Além disso, as varizes  prejudicam a qualidade de vida dos pacientes, com dores, cansaço nas pernas e prurido. Podem ainda, eventualmente, complicar com ulcerações , infecções  e sangramentos”, lista o dr. Mostestruque.

 

6. Tratamento a laser é eficiente para acabar com as varizes?

O tratamento a laser tem eficácia comprovada hoje em dia e vem sendo cada vez mais aprimorado. “As técnicas englobam desde o tratamento de vasos muito pequenos, como as telangiectasias, até vasos bem calibrosos. Nos últimos anos muitas melhorias foram feitas nos equipamentos de laser e na compreensão da maneira como laser atua nos vasos”, aponta o dr. Mostestruque. Mas somente com uma avaliação médica é possível saber se o laser é indicado.

 

7. Quando é recomendada a cirurgia?

“Quando as varizes clinicamente estão causando desconforto ao paciente, com sintomas que interfiram no cotidiano, como dor, edema, alterações de pele ou até feridas cicatrizadas. Nessas situações preferimos indicar o tratamento cirúrgico para erradicação das varizes”, afirma o dr. Zafani. Mas cada caso deve ser analisado por um médico especialista, que orientará o melhor tipo de tratamento.

 

8. O que é escleroterapia?  

É um tratamento feito com intervenções que visam secar e provocar o fechamento dos vasos. Existem três tipos de escleroterapia: com glicose, que causa irritação e inflamação do vaso, que se fecha; a laser, que aumenta a temperatura do vaso e o destrói; e com espuma, para veias mais grossas, com injeção de espuma de dióxido de carbono. O médico é quem deve avaliar o melhor método em cada caso.  

     

    9. Como funciona a meia elástica? 

    Ela ajuda a aliviar os sintomas, mas não resolve o problema. “A compressão externa aumenta a ação da bomba muscular por meio de uma gradação de pressão nas pernas, forçando o sangue na direção do coração. Além disso, estimula a microcirculação, melhorando a dores nas pernas”, explica o dr. Zafani.

     

    10. Como melhorar a circulação do sangue? 

    A dica mais importante é se movimentar: nunca fique tempo demais sentada ou em pé na mesma posição. Outra boa tática é deitar-se com as pernas elevadas, favorecendo a descida do sangue e a volta para o coração. O uso de meias elásticas e a prática frequente de exercícios físicos também vão ajudar.

     

    ☆ Tudo sobre o misterioso signo de Escorpião ☆