Dengue triplica em fevereiro, em São Paulo. Saiba como ajudar no combate

Com as novas informações sobre o aumento de casos de dengue, é importante seguir as recomendações do Ministério da Saúde

Segundo dados divulgados pela Secretária de Estado da Saúde, o número de infectados pela dengue em São Paulo triplicou desde o fim de janeiro. Os números são referentes às duas primeiras semanas de fevereiro. 

Na primeira coletânea de dados, em janeiro, foram confirmados 4.595 casos da doença. Duas semanas depois, o número de diagnósticos aumentou para 13.472. O surto se concentra principalmente na região noroeste do estado, que registra 66% das ocorrências, tendo as cidades de Bauru, Andradina e Araraquara como focos.

Esses números são cinco vezes maiores que os registrados no mesmo período do ano passado, mas o recorde é do ano de 2015, em que foram diagnosticados 709.445 casos, sendo 41.844 apenas em janeiro.

O Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo informa que, por ser uma doença sazonal, é comum que a quantidade de infectados aumente durante o verão, principalmente quando há muita chuva, uma vez que o calor e a umidade são favoráveis à proliferação do mosquito Aedes aegypti, que também é transmissor de zika e chikungunya. Além disso, muitos especialistas consideram a dengue uma doença cíclica, com aumento do número de casos a cada 3 ou 4 anos. 

O estado aplica uma série de estratégias de combate à dengue, por meio de parcerias entre as secretariais da Saúde, Educação Infraestrutura e Meio Ambiente. Há ainda ações especiais para eliminar criadouros e conscientizar a população.  

Mas tudo isso não vai adiantar muito se você deixar de fazer a sua parte, uma vez que aproximadamente 80% dos criadouros estão em residências.

Dicas do Ministério da Saúde para combater o Aedes aegypti: 

  • Manter bem tampado tonéis, caixas e barris de água;
  • Lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água;
  • Manter caixas d’agua bem fechadas;
  • Remover galhos e folhas de calhas;
  • Não deixar água acumulada;
  • Encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana;
  • Trocar água dos vasos uma vez por semana;
  • Colocar lixos em lixeiras fechadas;
  • Fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais;
  • Manter recipientes vazios que estão do lado de fora com a boca para baixo;
  • Guardar pneus em locais cobertos;
  • Fazer sempre manutenção de piscinas;
  • Tampar ralos;
  • Colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento;
  • Tampar e verificar semanalmente os vasos sanitários externos;
  • Limpar com frequência a bandeja do ar-condicionado;
  • Esticar bem as lonas que cobrem materiais de construção para não acumular água.