EUA proíbe principais compostos químicos de sabonetes antibacterianos

Fabricantes não conseguiram comprovar segurança das substâncias, e nem que os sabonetes antibacterianos são mais eficazes do que os comuns

Siga o mdemulher no Instagram

Uma recente decisão do FDA (Food and Drug Administration), órgão regulador dos Estados Unidos, diz respeito a um produto que muitas de nós temos em casa. Na última sexta-feira (2) o órgão proibiu a venda de sabonetes antibacterianos que contenham 19 agentes químicos. De acordo com o comunicado oficial, tanto sabonetes para as mãos quanto para o corpo não poderão mais serem comercializados. 

Dentre os agentes químicos proibidos, os dois mais comuns são o triclosan e o triclocarban. Segundo a FDA, há suspeitas de que esses ingredientes podem oferecer riscos à saúde, como resistência bacteriana e efeitos hormonais. Em 2013 o órgão pediu que os fabricantes apresentassem estudos sobre a segurança dos produtos químicos, e dados que comprovassem que sabonetes antibacterianos fossem mais eficientes do que os sabonetes comuns. 

“Os consumidores podem pensar que sabonetes antibacterianos são mais eficientes em prevenir a propagação de germes, mas não temos nenhuma evidência científica de que eles sejam mais eficazes do que água e sabão. Na verdade, algumas pesquisas sugerem que os ingredientes antibacterianos podem fazer mais mal do que bem, em longo prazo”, afirma Janet Woodcock, diretora do centro de avaliação e pesquisa de drogas do FDA.  

A decisão do FDA não afeta os géis e lenços antibacterianos, ou produtos usados em serviços de saúde. No Brasil, a substância é controlada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e o limite de sua presença em produtos de uso humano é de 0,3%. Vale lembrar que lavar as mãos corretamente com água e sabão é a melhor forma de garantir menos bicróbios circulando por aí. Aprenda passo a passo como lavar as mãos da maneira correta