Livre-se das dores nas costas

Saiba como prevenir e tratar problemas como hérnia de disco, pé chato e bico-de-papagaio, e evite o sofrimento nas articulações

Acredite: se você nunca sofreu com dores na coluna, faz parte de uma parte bem pequena da população.

Esse incômodo ataca com força as mulheres com mais de 30 anos, conforme explica o reumatologista Roberto Heymann, da Universidade Federal de São Paulo.

Quilos extras, má postura adquirida com sapatos de salto alto e tensão muscular provocada pelo estresse são gatilhos que desencadeiam a dor nas costas

Cura garantida

A boa notícia é que de cada 100 casos, 96 são resolvidos em até três semanas, como afirma o reumatologista.

Na maioria das vezes, a dor pode ser controlada com remédios e repouso

Há até alguns problemas articulares que não causam muita dor. O bico-de-papagaio é um exemplo que, às vezes, só é descoberto por meio de radiografia.

De acordo com Heymann, muita gente põe compressas frias ou quentes nos locais das dores. Porém, na opinião do especialista, isso não pode ser feito com frequência.  “É preciso fazer o diagnóstico correto do problema”, diz.

Para não sofrer por mais tempo, conheça as características, os tratamentos e a prevenção para as principais queixas nas articulações.

Hérnia de disco

Nossa coluna é composta por 33 vértebras. Dentro delas há um canal por onde passa a medula nervosa. A hérnia de disco surge quando parte dessa estrutura sai da posição normal, deslocando, rompendo ou comprimindo os nervos. Suas causas: má postura, carregar excesso de peso, usar salto e obesidade.

Prevenção

Troque o salto por sapatilhas e divida o peso da bolsa nos ombros. Compre um colchão firme, aquele em que seu corpo não afunda, nem fica achatado na superfície. Escolha um travesseiro baixo e deite-se de lado. Tente relaxar mais: o estresse e a ansiedade podem aumentar as dores. E abaixe o ponteiro da balança: o excesso de peso força muito a coluna lombar.

Tratamento

Com antiinflamatórios e analgésicos. Nos casos mais graves, só a cirurgia resolve. Outras alternativas são fisioterapia, hidroginástica ou um tratamento chamado reeducação postural global (RPG), disponível no SUS.

Bico-de-papagaio

Mais conhecida como bico-de-papagaio, a osteofitose é um problema nos ligamentos que ajudam a sustentar o fim da coluna lombar. Eles se desgastam com o tempo e acabam endurecendo.

O processo, às vezes, causa dores, porque comprime os nervos e os músculos. O problema costuma atingir com mais frequência pacientes idosos. Obesos, reumáticos e pessoas com má postura estão mais propensos a desenvolver o problema.

Prevenção

É importante manter o peso ideal. Evite movimentos e posturas repetitivas, e nunca carregue muito peso. No trabalho, coloque um apoio para os braços ao usar o computador.

Tratamento

Analgésicos, antiinflamatórios e relaxantes musculares são indicados na fase aguda da dor. Recomenda-se também fazer sessões de fisioterapia, alongamento e hidroginástica. Há também uma terapia alternativa que estimula os músculos com a aplicação de impulsos elétricos.

Pé chato

Ocorre quando aquela curva da sola do pé diminui. Os músculos da região perdem a força. Atinge principalmente crianças, mas também é encontrado em adultos.

Pode ter influência genética ou ser causado por calçados com saltos altos. Na maioria das vezes não causa dor, mas se o problema não for corrigido pode provocar calos, cansaço, alteração na forma de andar e dor nas costas.

Prevenção

Caminhar descalça e em terrenos irregulares — como grama, terra ou areia — ajuda muito, porque fortalece os músculos dos pés. E tome cuidado com os tênis gastos: a criança começa a pisar torto e pode desenvolver má postura, além de sofrer torções.

Tratamento

Se o pé chato persistir depois dos três anos, será necessário usar calçados ortopédicos. As antigas botas foram substituídas por tênis, parecidos com os comuns. Eles têm uma lateral reforçada, que impede a deformação do calçado, e uma palmilha que estimula a formação da curvatura do pé.