Manual de primeiros socorros do verão

Você pega no sono na praia e fica com a pele toda queimada. Deixa de tomar água o suficiente e se desidrata... Para tirar esses e outros contratempos de letra, confira o nosso manual de primeiros socorros do verão.

O cuidado com as crianças e adolescentes deve ser redobrado no mar para evitar afogamentos.
Foto: Getty Images

Corte

É comum as apaixonadas pela cozinha se machucarem manuseando objetos cortantes. Mas no verão esses “pequenos acidentes” acontecem ainda mais, por pura distração: entre um bate-papo e outro na hora de cortar o limão para a caipirinha ou a carne para o churrasco, lá se fez um talho feio no dedo!

Como agir

– Antes de cuidar do machucado, lave as mãos.

– “Com um pano limpo ou gaze, faça uma pressão sobre o ferimento a fim de estancar o sangue”, ensina a enfermeira Yara Kimiko Sako, do Hospital Israelita Albert Einstein (SP).

– Lave a área com água limpa e abundante.

– “Se a hemorragia não parar, proteja o corte com uma gaze ou um pano fino e procure assistência médica”, alerta Yara. No hospital, o médico poderá avaliar se existe infecção, indicar os medicamentos adequados e se há a necessidade de suturar a região.


Queimadura de sol

Embora todo mundo saiba da importância do uso de protetor solar, nem sempre as recomendações são seguidas à risca. Seja qual for a cor da pele, o correto é adotar FPS 30, e reaplicá-lo a cada duas horas ou após os mergulhos. Caso contrário, é possível ficar vermelha, ardida e com bolhas.

Como agir

– Depois de uma queimadura, a exposição ao sol fica proibida! A ordem é se proteger com roupas leves e frescas, sem abafar a pele.

– “Use um spray de água termal ou produtos formulados com silicone para acalmar e regenerar a pele”, indica a dermatologista Christiana Alonso, da Clínica Ayni Saúde Integrada (SP).

– A água do banho deve ser de morna a fria para não sensibilizar ainda mais a região, que descama após o processo de cicatrização.


Afogamento

Muita gente se arrisca em águas desconhecidas ou descuida das crianças na piscina ou no mar. “A atenção tem que ser dobrada com os pequenos e deve-se mantê-los sempre à vista”, orienta a enfermeira Cibelli Rizzo Cohrs, do Departamento de Enfermagem Clínica e Cirúrgica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Também é importante não consumir bebidas alcoólicas ou refeições pesadas antes de entrar na água, respeitar os avisos de alerta dos salva-vidas e não nadar sob tempestade.

Como agir

– Retire a vítima da água com a ajuda de um objeto flutuante, como uma prancha de isopor, puxando-a para um local seguro.

– Coloque-a em uma superfície rígida e plana e a acalme.

– Retire as roupas molhadas e mantenha o corpo aquecido.

– Cheque a respiração. Se estiver tudo bem, coloque a vítima de barriga para cima e vire a cabeça de lado. Se não houver sinais, faça a reanimação cardiopulmonar (o ideal é que seja realizada por alguém habilitado).

– Peça socorro ao Resgate (telefone 193).


Picada de inseto

As picadas costumam provocar dor leve, coceira e inchaço local, sintomas que passam logo. Mas algumas podem ficar inchadas e a sensação é de que jamais vão parar de coçar.

Como agir

– Lave a região com bastante água e sabão.

– Coloque uma bolsa de gelo embrulhada em uma toalha fina sobre a picada por 20 minutos.

– Durante meia hora, observe se há alguma reação alérgica. Se notar, procure o pronto atendimento.

– “Se a picada for de abelha, localize o ferrão e o extraia, junto com a bolsa de veneno, com a ajuda de uma borda cega, como a de um cartão de crédito. Mas tome cuidado para não espremer a bolsa de veneno, para não liberar ainda mais na pele”, alerta a enfermeira Yara Kimiko Sako.


Insolação

Mal-estar, tontura, vermelhidão no corpo e dor de cabeça são os sintomas. “A insolação é a alteração súbita dos fluidos corporais. O excesso de calor leva à vasodilatação e à queda de pressão, provocando tonturas, dor de cabeça e perda exagerada de líquido pela transpiração”, explica Silvia Solda, coordenadora do pronto-socorro do Hospital Beneficência Portuguesa, de São Paulo.

Como agir

– Deixe a pessoa em local arejado.

– Faça compressas de soro fisiológico ou chá de camomila frio para baixar a temperatura.

– Sirva água, bebida isotônica ou água de coco – menos alimento.

– Mantenha a vítima deitada, com as pernas elevadas.

– Procure o hospital para verificar a pressão arterial e o quadro clínico geral. “Em alguns casos, a insolação pode estar associada à hipertensão”, avisa Silvia.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s