Me livrei da gastrite

Alimentação adequada e mudança de hábitos me livraram da queimação no estômago

A dor era tanta que eu sentia náuseas
e até pontadas no coração.
Foto: Arquivo pessoal

Eu tinha 21 anos quando comecei a sentir dor no estômago. Tudo o que eu comia me dava azia. Gordura, então, era tiro e queda. Se eu beliscasse uma batata frita numa balada, dali a pouco já estava encolhida numa cadeira, sem forças pra dançar. A dor era tanta que eu sentia até pontadas no coração.

Durante as crises, a única coisa que me aliviava era me deitar de bruços. Se eu estava em casa, tudo bem, mas no trabalho tinha de inventar uma desculpa pra fugir até o sofá da sala de reunião. Quando a sala estava ocupada, o jeito era me contorcer no banco de madeira do vestiário da empresa.

Senti náuseas e vomitei o almoço
A gota d’água foi o dia em que eu vomitei depois do almoço. A náusea foi tanta que eu fiquei com medo de estar com algo gravíssimo e procurei um médico. A endoscopia detectou uma inflamação na mucosa que reveste o estômago, a famosa gastrite.

O gastroenterologista me receitou um inibidor da produção de ácido durante um mês, o que melhorou bastante a queimação. O mais difícil foi mudar meus hábitos, a começar pela alimentação.

☆ Tudo sobre o misterioso signo de Escorpião ☆