Por que temos medo de palhaço? E pior: quando isso vira uma fobia?

Com a chegada de 'It - Capítulo Dois' aos cinemas, os palhaços estão ainda mais assustadores. Saiba quando esse medo pode ter se transformado em doença.

Maquiagem carregada, nariz vermelhão, sapatos enormes, roupas chamativas… Se a figura de um palhaço te incomoda, saiba que você não está sozinha. Medo de palhaço é bem comum e pode ser uma doença: coulrofobia.

Tudo piora ainda mais a partir da associação com os filmes de terror que transformaram os divertidos personagens em assassinos – Pennywise, protagonista de It, está aí para mexer ainda mais com nosso imaginário.

De onde vem o medo de palhaço?

É bastante comum associar o medo ao trauma de algum evento ocorrido da infância. Mas há ainda uma outra explicação: de acordo com um estudo publicado pela revista científica New Ideas in Psychology, o principal fator que faz com que algo seja horripilante é a imprevisibilidade, característica comum aos palhaços.   

“É impossível saber se um palhaço está feliz ou triste com o disfarce, ou se ele vai ou não dar com uma torta na sua cara de repente”, afirma a psicóloga Elaine Di Sarno. São essas intenções ocultas que podem nos assustar. Além disso, a felicidade fingida do personagem também pode provocar desconforto e insegurança.  

Medo x Fobia

Nem todo mundo que sente medo de palhaço sofre de uma doença. “fobia se caracteriza por um medo exagerado ou irracional“, explica o Dr. Elie Cheniaux, psiquiatra e psicanalista membro da Sociedade Psicanalítica do Rio de Janeiro. 

O medo é uma sensação natural do corpo, que fica em estado de alerta fisicamente e psicologicamente ao se sentir ameaçado. Só que isso passa a ser caracterizado como fobia quando prejudica as relações do dia a dia e causa sofrimento psicológico.

Coulrofobia

Esse é o nome da fobia de palhaços. A coulrofobia tem incidência maior na infância, sendo mais comum o diagnóstico em crianças com idade entre 2 e 7 anos, segundo Elaine.

Para o especialista da Sociedade Psicanalítica, o principal motivo é “o fato de a criança se sentir especialmente insegura diante de estranhos e, mais ainda, de uma pessoa que tem uma aparência diferente do usual”. Quando a doença persiste ao longo da adolescência e fase adulta, é provável que a pessoa associe a figura do palhaço a uma memória ruim e que provoca ansiedade.

Entre os sintomas mais comuns da coulrobia estão falta de ar, respiração ofegante, aumento dos batimentos cardíacos, sudorese, náuseas e sensação de boca seca. Tudo isso despertado na presença do personagem ou até mesmo por uma lembrança.

Como tratar

Fobia de palhaço tem cura. Assim como o tratamento de várias outras fobias, é preciso de apoio psicológico e, muitas vezes, psiquiátrico. Mas como cada caso é diferente, a abordagem deve mudar, dependendo da pessoa e do profissional, assim como o tempo de tratamento.

“O resultado esperado é que o paciente consiga compreender e visualizar o palhaço como um personagem indefeso e não o relacioná-lo com situações de temor e pânico”, constata a psicóloga Eliane Di Sarno.