Quer dormir bem? Estes alimentos devem estar no prato na hora do jantar

Nutricionistas contam o que comer para não sofrer na hora de dormir.

Fim do dia, hora do jantar, cansaço que bate e a gente acaba indo dormir sem comer ou fazendo só um lanchinho. Bem errado!

Saiba que tudo que você ingere – ou deixa de ingerir – antes de dormir pode ser fundamental para a qualidade do seu sono. “Dependendo do que for consumido, o descanso pode ser interrompido. Refeições muito calóricas e de má qualidade nutricional podem afetar a qualidade do sono, causando desconforto e insônia”, explica a nutricionista Lidiane Santana.

Quer saber quem são os heróis e os vilões do jantar? Conversamos com nutricionistas e revelamos para você.

1. Prefira carnes brancas

Toda refeição precisa de uma fonte de proteína. No caso do jantar, o melhor é investir nas carnes brancas que são menos gordurosas e, portanto, têm digestão e absorção mais fáceis, fazendo com que o corpo precise trabalhar menos durante o sono.

Não esqueça que o modo de preparo também precisa ser levado em consideração. “O filé de frango grelhado em pouco azeite é ótimo. Mas prepará-lo em excesso de óleo e com mais sal não o deixará saudável e muito menos resultará em uma digestão fácil”, aponta a nutricionista Roseli Ueno.

Fuja das carnes vermelhas, gordurosas e fritas, que exigem mais esforço do organismo e tempo para digestão.

2. Aposte no ovo

Não quer comer comer carne, vá de ovo! Essa é outra ótima fonte de proteína para o jantar. O ovo é rico em vitaminas A, D, E e B12, tendo impactos positivos na composição dos ossos, na manutenção da memória e saúde da pele. Além disso, é possível prepará-lo de diversas maneiras, sem utilizar frituras e gorduras prejudiciais ao organismo, como omeletes ou mesmo fazendo um ovinho cozido.

3. Vá de grãos e cereais

Carboidrato é preciso, mas nessa hora do dia o melhor é ingerir somente os de fácil digestão, que não vão te deixar ainda mais acelerada.

Aveia, quinoa, grão-de-bico, soja, ervilha são carboidratos de fácil digestão e apresentam índice glicêmico de baixo a moderado, ou seja, a sua glicose é lentamente absorvida pelo corpo. Com isso, você não sente um aumento repentino de energia, como acontece com as comidas absorvidas muito rapidamente.

Não abuse de pães e massas à noite, mas se for comer esse tipo de carboidrato, “prefira as versões integrais ou low carb“, recomenda a nutricionista Cristiane Molon.

4. Cozinhe seus legumes e verduras

“Vegetais são sempre bem-vindos, pois são nutritivos, de fácil digestão e fonte de fibras“, diz a nutricionista Lidiane Santana, que também destaca a importância de manter a refeição o mais natural possível, sem uso de óleos e frituras. 

5. Faça sopas caseiras

O maior benefício das sopas é poder combinar vários dos ingredientes citados acima como importantes pro jantar.

Só evite sopas prontas: prefira preparar a sua própria receita com alimentos e temperos naturais que você tem em casa.

6. Fruta é sempre a melhor opção

Ficou com vontade de adoçar a boca? Coma uma fruta! Além de bastante saborosas, de forma geral, elas são ricas em vitaminas, especialmente dos complexos B e C, potássio, magnésio e cálcio, nutrientes importantes para a saúde. 

Dê preferência para as de baixo e médio índice glicêmico: abacaxi, manga, laranja, kiwi, pêssego, morango, maçã, pera, ameixa, cereja e melão. Algumas delas, como o kiwi e o morango, apresentam um benefício extra, pois ajudam na produção da melatonina, o hormônio do sono. 

Mas é preciso moderação, porque até fruta em excesso faz mal – o açúcar libera insulina, hormônio que atrapalha a produção de outros importantes para um sono tranquilo.

☆ Pedras, cristais e rituais de proteção: saiba como usar ☆