Saiba o que fazer se sofrer uma queimadura (pasta de dente nem pensar)

Queimou? Nada de apelar para crenças populares ou receitinhas caseiras. Confira as dicas dos médicos e entenda como proceder para evitar complicações.

A água fervendo que derramou no braço, a panela quente que você pegou na mão sem querer, a comida pelando que caiu do prato… Basta um descuido e as tarefas mais corriqueiras podem provocar queimaduras graves. Nossa pele é mesmo bem sensível ao calor.

E aí, a gente sempre lembra daquelas crenças populares: “Coloca pasta de dente no local da queimadura, passa um pouco de manteiga, põe gelo…”. Não, não e não! Não tente nada disso em casa porque queimadura é coisa séria e o resultado pode ser bem pior.

Para entender o que se deve fazer (e não fazer) nessas situações, confira as dicas dos médicos especialistas.

Os graus da queimadura

Para começar, saiba que nem toda queimadura é igual. Tudo depende da profundidade que elas alcançam.

Queimaduras de 1º grau: “São mais superficiais, envolvem apenas a epiderme e caracterizam-se por vermelhidão e dor, sem bolhas, e geralmente não deixam sequelas”, explica a dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Queimaduras de 2º grau: “Essas chegam até a derme, podendo até destruí-la completamente. Caso atinjam a porção mais superficial da derme, os sintomas são os mesmos da queimadura de 1º grau, mas com aparecimento de bolhas”, relata a dra. Claudia. “Se for pouco profunda, formam-se bolhas róseas e muito dolorosas. Já se for muito profunda, a base da bolha é branca e geralmente dói menos”, complementa a dermatologista Fabiane Seidl, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica. Em todos os casos é preciso avaliação médica.

Queimaduras de 3º grau: “Acometem toda a derme e atingem também os tecidos subcutâneos, destruindo nervos, pelos, glândulas sudoríparas e até mesmo músculos. Dependendo da gravidade e extensão, podem ser fatais”, afirma dra. Claudia. São lesões acinzentadas, indolores (já que destruíram os nervos), secas e deformadas. Sem dúvida é preciso correr para o médico.

Primeiros socorros para queimaduras

Se for uma queimadura de 1º ou 2º grau, resfrie a lesão. Você pode usar água corrente ou panos umedecidos. “Além de diminuir a dor, você corta o calor residual, que pode continuar a provocar danos mesmo após a interrupção do contato com o agente causador”, diz a dra. Claudia.

Caso haja formação de bolha, jamais estoure. “A bolha funciona como curativo biológico, ajuda na cicatrização e previne infecção no local”, aponta a dra. Fabiane.

E se a queimadura tiver sido por cima da roupa, não tente puxar o tecido. “A recomendação é molhar o local e ir para o pronto socorro dessa maneira, para evitar que a pele seja arrancada na tentativa de retirar a vestimenta”, orienta a dermatologista. 

Não aplique na pele queimada:

  • Gelo – apesar do alívio imediato, o gelo também pode queimar a pele, piorando ainda mais a situação.
  • Pasta de dente – nem manteiga, nem qualquer receita caseira! “Isso é totalmente contraindicado. Qualquer substância passada sobre a pele queimada pode irritá-la, além do risco de infecção por bactérias presentes nesses produtos.
  • Pomadas com corticoides – nunca se automedique. Só use pomadas com indicação de um especialista que tenha avaliado a queimadura.

Vaselina líquida é o único produto liberado para aplicar no local sem orientação médica, já que hidrata a pele e não faz mal.

E não deixe a pele queimada exposta ao sol.

Como saber se devo procurar ajuda

“Nas queimaduras graves há formação de bolhas, aparecem placas brancas ou escuras sem dor”, aponta a dermatologista Fabiane. Nesses casos, é fundamental ir ao pronto socorro.

Outras situações que pedem pronto atendimento são queimaduras na face, mãos, pés, genitália e se elas forem causadas por fonte elétrica ou se atingirem as vias aéreas superiores. Lembrando que crianças e idosos devem ser avaliados por um médico, mesmo que a situação não pareça grave no momento.

“É importante também ser avaliada para saber se há necessidade de um cuidado mais específico e se será preciso tomar alguma dose de vacina antitetânica”, aconselha a dra. Fabiane.

Tratamento adequado da pele queimada

Em casos mais leves, o médico pode receitar medicamentos tópicos calmantes, hidratantes para suprir a perda de água causada pela queimadura e antibiótico para evitar infecções.

Casos mais graves podem pedir cirurgias com enxerto. “Esse procedimento consiste na cobertura da parte lesionada com pele saudável retirada de outra parte do corpo, geralmente da coxa”, comenta o cirurgião plástico Paolo Rubez.

Os perigos de não tratar as queimaduras corretamente

“Nas queimaduras mais simples, o principal perigo é a contaminação da ferida com bactérias, levando a uma infecção do local acometido”, afirma a dra. Fabiane. E ela ainda diz que se os cuidados necessários não forem tomados, a cicatriz também pode ficar pior.

E o mais importante: não tratar de forma correta as queimaduras de 2º grau profundo e 3º grau pode colocar em risco a vida do paciente.