Saiba o que são, como comprar e guardar os remédios fitoterápicos

Medicamentos feitos à base de planta têm poucas substâncias sintéticas, mas seu consumo deve ser recomendado por médicos

Erva-baleeira, ou cordia verbenacea, planta de uso fitoterápico
Foto: Caio Ferrari/SAÚDE!

Os remédios chamados fitoterápicos estão com tudo, mas o que são eles e como atuam no organismo ainda é dúvida para muita gente. Esses medicamentos são feitos à base de plantas. A diferença entre eles e os químicos está no processo industrial, mais simples no caso dos fitoterápicos, em que há poucas substâncias sintéticas. Por esse motivo, muitas pessoas crêem que eles produzam efeitos colaterais brandos.

O que a ciência comprova sobre a técnica é que existem tratamentos fitoterápicos de eficácia garantida para casos de inflamações, problemas gastrointestinais, asma, úlceras, dores, ansiedade, insônia e dificuldade de cicatrização.

Desde 1992, os fitoterápicos eficazes vêm sendo catalogados pela Organização Mundial de Saúde. A Agência de Vigilância Sanitária leva essa lista em conta para autorizar os laboratórios a produzi-los.

Um alerta importante para quem quer se tratar com fitoterápicos envolve a hora de comprar: procure lojas de fitoterápicos ou farmácias de manipulação que exponham os rótulos com os prazos de validade e a procedência da erva.

Nas feiras livres, as embalagens não têm nenhuma especificação e fica difícil ter certeza de que as plantas são de boa qualidade – além de ficarem expostas à luz e ao calor, o que despotencializa os efeitos terapêuticos.

Procure a erva pelo nome científico. O nome popular varia de região para região e pode designar espécies diferentes para fins distintos. Por exemplo, erva-de-bugre, um nome popular da guaçatonga, não tem nada a ver com chá-de-bugre, outro apelido da porangaba.
 

Saiba o que são, como comprar e guardar os remédios fitoterápicos

Diversas ervas atuam como remédios fitoterápicos
Foto: Getty Images

O ideal é que as partes das plantas sejam vendidas separadamente. Se no saco de hortelã você encontrar galhos, além das folhas, pode ser sinal de falta de idoneidade do herbário. O preço é dado conforme o peso e galhos pesam mais.

Segundo o Ministério da Saúde, as embalagens de ervas secas devem ser de papel celofane transparente. O rótulo precisa indicar o peso, o prazo de validade e a procedência.

A conservação da planta medicinal também requer cuidados. Se não for bem armazenada, perde seus poderes curativos. Guarde as folhas, galhos, cascas, flores em um recipiente de vidro escuro, de preferência de tom âmbar, o mesmo das garrafas de cerveja, que filtra bem a luminosidade. Mantenha-o longe do calor e da umidade.

Se retirar a erva da sua embalagem original, não se esqueça de colar uma etiqueta no vidro em que ela for guardada, informando o prazo de validade indicado pelo produtor.

E não ignore o fato de os fitoterápicos também terem contra-indicações. A utilização inadequada de medicamentos fitoterápicos, que são desenvolvidos a partir de matérias-primas vegetais, pode provocar reações alérgicas, causar quadros de intoxicação em alguns órgãos, como fígado, e alterações no sistema nervoso central.

“Por isso, os tratamentos de saúde com fitoterápicos devem ser assistidos por um especialista em plantas medicinais. No entanto, esses remédios normalmente agem mais suavemente e, por isso, seus efeitos colaterais são mais brandos”, afirma o especialista em fitoterapia Luís Carlos Marques.

“Isso ocorre porque, ao contrário das drogas convencionais, que têm grande quantidade de princípio ativo isolado (substâncias responsáveis por seus efeitos), nos medicamentos fitoterápicos eles coexistem com uma série de outras substâncias presentes nas plantas.”

Com informações da BONS FLUIDOSVIDA SIMPLES

☆ Descubra o significado de VÊNUS no seu Mapa Astral ☆