Truques para não sofrer mais com o atrito entre as pernas

Acredite: é possível aliviar (e muito) esse sofrimento!

Não tem como negar: usar saias, vestidos ou shorts pode ser um grande pesadelo para pessoas com coxas grossas! Presente na realidade de muitos brasileiros, o atrito entre as pernas é capaz de causar assaduras, dor associada e até manchas na pele de quem tem predisposição para tal. E esta não é uma preocupação exclusivamente feminina. “Tanto homens quanto mulheres, de qualquer idade, podem apresentar este problema. Normalmente, ele está associado ao sobrepeso, mas pode ocorrer também em pessoas que têm as coxas mais grossas de forma constitucional”, aponta a Dra. Aline Marcassi, dermatologista do Amato Instituto de Medicina Avançada.

Embora seja comum que os problemas causados por esse atrito diminuam consideravelmente no inverno, muitas pessoas sofrem com a questão durante as quatro estações do ano. “Normalmente, isso ocorre no verão, pelo uso de saias ou shorts mais curtos, em caminhadas mais longas ou durante exercícios físicos”, explica a especialista. Além disso, é importante ressaltar que os tecidos muito apertados e os sintéticos contribuem para aumentar a fricção e causar lesões – especialmente se estiverem molhados, viu?

No entanto, quem está acostumada com a irritação já pode se despedir do desconforto. No momento da prevenção, o ideal é seguir o conselho da dermatologista. “Podem ser usados cremes contra assaduras, como aqueles à base de óxido de zinco e dexpantenol, além de vaselina ou óleos corporais para diminuir o atrito. Também é importante a proteção física, como uso de shorts embaixo da saia ou vestido”, ensina.

Veja mais: Por que uma mulher de coxas grossas foi proibida de usar shorts curtos?

A Dra. Aline ainda opina sobre os produtos usados popularmente para driblar todo esse ~rala coxa~. “Os talcos comuns ou cremosos são substâncias secativas e podem ser usados na virilha, pois, como é uma região de dobra, acaba ficando mais úmida. Já entre as coxas, onde costuma acontecer o contato, pode piorar o quadro, pois esta área apresenta a pele mais seca. Vale lembrar que desodorantes e silicones para os cabelos também são capazes de irritar a pele da região. Já a vaselina e os óleos corporais podem ser interessantes, pois formam uma película protetora contra o atrito. E, por último, os protetores solares também são indicados em casos de exposição ao sol, para evitar manchas”, esclarece. 

Porém, se a região já assou e/ou está com feridinhas, não é preciso desespero, mas a limpeza e o isolamento da região. “Se isto ocorrer, podem ser usados cremes cicatrizantes, mas, em alguns casos, são necessários corticoides tópicos, prescritos por dermatologistas, para diminuir a inflamação”, orienta. Algumas pessoas ainda sofrem com a tendência de manchar a pele após estímulos inflamatórios, como os que aparecem durante a fricção das pernas. “Nesta situação, inicialmente, o mais importante é interromper o estímulo, o que pode acontecer com a perda de peso, diminuindo a circunferência das coxas. Em seguida, para o tratamento da pele, são indicados alguns cremes clareadores, que devem ser apontados após a avaliação do dermatologista”, finaliza.

Veja mais: 25 mulheres descrevem suas coxas em uma só palavra