Vinho branco e destilados aumentam o risco de rosácea em mulheres

Mas o vinho tinto não causa o desenvolvimento da doença e está liberado :-)

Parece que temos um vencedor na batalha entre o vinho branco e o vinho tinto.

Depois de ser revelado que o vinho pode ajudar no tratamento de ovários policísticos, o estudo “Alcohol intake and risk of rosacea in women” (em português, Consumo de álcool e risco de rosácea em mulheres), publicado pela Academia Americana de Dermatologia, mostra que o vinho branco e bebidas destiladas em geral aumentam o risco de desenvolvimento de rosácea em mulheres.

Ou seja, na hora de encher uma taça de vinho, o tinto é a melhor pedida – pelo menos por enquanto, né, até que descubram alguma coisa que faça a gente optar pelo rosé.

Leia mais: Rosácea: saiba o que é e como cuidar

 

Por que o vinho branco é um vilão?

“O consumo de álcool, de modo geral, é um agravante para o surgimento da rosácea, porque enfraquece o sistema imunológico e dilata os vasos sanguíneos”, afirma a dermatologista Ana Lucia Recio. “O vinho tinto não tem essa característica por ser rico em flavonoides, que são antioxidantes que protegem a pele, e outros anti-inflamatórios naturais”.

Apesar disso, o estudo detectou que cerca de 5% das mulheres que já tinham rosácea notaram uma piora na condição da pele depois de beber vinho tinto. O que significa que ele, sozinho, não faz a doença se desenvolver; mas não deixa de ser alcoólico e dilatar os vasos sanguíneos, então pode acabar agravando o quadro da rosácea em alguns casos.

 

A quantidade faz diferença

O estudo norte-americano é baseado em dados coletados de 82.737 mulheres ao longo de 14 anos. Ele indica, ainda, que a quantidade de vinho branco ou destilados pode ser decisiva no aparecimento da rosácea.

“Mulheres que queiram manter a pele saudável devem limitar o consumo de álcool. Sua presença no organismo é ligada não só à rosácea, mas também a problemas de pele como psoríase e acne”, alerta o dermatologista Abrar A. Qureshi, da Brown University, que fez parte do estudo. Ele sugere que o consumo moderado, de até três doses por semana, não apresenta riscos para a saúde da pele da mulher.

Então é isso: é melhor guardar aqueles brindes de Cosmopolitan, de vinho branco ou de caipirinha para ocasiões especiais ao longo da semana.

 (ivanmateev/Thinkstock)

Um pouco sobre a rosácea

Bochechas vermelhas (sem ser de vergonha), um pouco de inchaço e possivelmente pus nessa região avermelhada são os principais sintomas da rosácea. “A vermelhidão aparece e espontaneamente desaparece”, diz Ana Lucia, que explica: “É uma dermatose crônica, evoluindo com fases de melhora e piora. A piora surge com frequência quando existe alguma forma de estresse”.

Infelizmente e por alguma razão que a ciência ainda não conseguiu descobrir, a rosácea acomete mais as mulheres. Além do vinho branco e dos destilados, ela é causada pela exposição a temperaturas extremas (quente demais ou frio demais), por banhos quentes ou saunas por um longo período e, vejam só, por excesso de pimenta na comida. Mas estamos falando de MUITA pimenta, ok? Sem pânico.

Seu tratamento é tópico e deve ser acompanhado por uma dermatologista, que indicará loções calmantes adequadas para cada caso.

Veja também