Empresas oferecem benefícios para mulheres e servem de exemplo

Algumas das empresas reconhecidas pelo Great Place To Work têm programas específicos para as mulheres e foram bem avaliadas pelas próprias funcionárias. Entenda porque elas são exemplo para outras firmas

O mercado de trabalho brasileiro ainda está longe de ser um ambiente igualitário para as mulheres. Além de ganharem menos, elas ocupam menos cargos de gestão. A boa notícia é que há empresas no Brasil que se preocupam e tentam mudar esse panorama.

Algumas das empresas reconhecidas pelo Great Place To Work, em agosto de 2014, têm programas específicos para as mulheres e foram bem avaliadas pelas próprias funcionárias, tanto por incentivar a diversidade de gênero no mercado, quanto por ajudar as funcionárias que pretendem ser ou já são mães.

Conheça alguns benefícios oferecidos por companhias que fizeram parte da pesquisa “Melhores empresas para trabalhar”:

Diversidade no recrutamento e metas de inclusão

Na empresa especialista em metais Alcoa há um alinhamento com a equipe de recrutadores internos e gestores para que, em casos de igualdade de competências de candidatos para uma vaga, a preferência seja contratar mulheres.

Além disso, a empresa estabelece, a cada ano, uma meta de aumento no número de mulheres na organização, que compõe os indicadores de remuneração variável de toda a liderança da Alcoa.

A empresa também tem o Projeto Sintonia, que incentiva e recompensa as mulheres mais bem colocadas no vestibular de engenharia de instituições-chave de regiões onde a multinacional atua. É oferecido curso de inglês e uma vaga de estágio para as universitárias.

Reembolso de R$ 900 para os recém-papais

No Google, tanto as mães, quanto os pais, têm direito a um reembolso de R$ 900 nos primeiros 90 dias da licença-maternidade. A ideia é facilitar a vida dos novos pais, que poderão receber o dinheiro usado em refeições prontas ou ao contratar uma diarista ou cozinheiro para não precisar deixar o bebê nem para cumprir as tarefas diárias de casa.

Assim, eles podem dedicar mais tempo ao bebê enquanto esperam, por exemplo, a chegada da pizza que foi encomendada por telefone e paga pelo benefício. A ação chamada “Baby Bonding Benefit” também pode ser aplicada nas compras no supermercado.

Retorno gradual da licença-maternidade

Uma das principais preocupações das mães que voltam da licença-maternidade é deixar o filho em casa. Com objetivo de reter essas profissionais, a Volvo criou um programa que permite às funcionárias a possibilidade de retornar ao trabalho de maneira gradual, sem se afastar completamente dos filhos, após o término do benefício.

No total, elas podem ficar um ano junto ao bebê sem comprometer a produção da empresa — o expediente é cumprido integralmente, mas parte em casa, parte na empresa. O programa, que já está nas áreas administrativas da Volvo, agora será implementado nas áreas produtivas.

Ajudinha com o material escolar

O laboratório de análises clínicas Sabin criou um projeto para seus colaboradores pagarem menos no material escolar dos filhos. No começo do ano, os pais encaminham as listas escolares para o RH da empresa, que faz os pedidos dos materiais. A empresa negocia com fornecedores e consegue um desconto de 30% no valor total e ainda parcela o pagamento em até cinco vezes na folha de pagamento.

Inclusão das mulheres no mundo da tecnologia

A ThoughtWorks Brasil, consultoria global e empresa de produtos de software, também foi reconhecida por suas práticas para incluir a mulher no mundo da tecnologia. A empresa, que tem por volta de 15% de participação feminina, pretende atingir 20%, aproximando-se de sua média mundial atual, que é de cerca de 27%.

Melhores empresas para trabalhar

Segundo a pesquisa, 95% das mulheres afirmaram que são tratadas bem nas companhias que integram a lista das “Melhores empresas para trabalhar”, independentemente do seu gênero, e 85% delas confirmaram que podem se ausentar do trabalho quando necessário.

Ainda, 81% das profissionais disseram que suas empresas oferecem treinamento ou outras formas de desenvolvimento para o crescimento profissional.

Além disso, 51% das empresas premiadas oferecem um tempo de licença-maternidade acima do estipulado por lei. O Great Place To Work listou as empresas premiadas com o maior porcentual de mulheres em seu quadro de funcionários:

EMPRESAS PARTICIPAÇÃO FEMININA (%)
Apetit  90,5%
Edmundo Vasconcelos   79,4%
Laboratório Leme  78,4%
Clamed  77,4%
ABA 76,2%
Atento 75,4%
Laboratório Sabin  74,8%
Dudalina 74,1%
Cultura Inglesa 70,8%
Unimed Rio  70,4%

Matéria publicada em Brasil Post.